CRM abre processo contra consultor da Shell

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo abriu um processo contra o toxicologista Flávio Zambrone, consultor da Shell Química do Brasil, empresa responsável pela contaminação do solo e do aqüífero do Recanto dos Pássaros, em Paulínia.O processo foi aberto a partir de uma representação da Associação de Moradores do bairro. A Associação acusa Zambrone de infringir 14 artigos do Código de Ética Médica.Entre as acusações, conforme o morador Antônio de Pádua Melo, está o fato de que exames médicos patrocinados pela Shell não contemplaram moradores do bairro, foram insuficientes e não abrangentes, já que verificaram a contaminação por apenas duas substâncias, enquanto a empresa manipulou pelo menos 20 na unidade de Paulínia.Zambrone, representando a Shell, afirma que não há casos de contaminações entre os moradores, ainda que não descarte a hipótese do desenvolvimento de doenças a partir do contato com as substâncias fabricadas pela Shell nos anos 70 e 80, os pesticidas organoclorados.Médicos da Prefeitura de Paulínia, a sanitarista Cláudia Guerreiro e o toxicologista Igor Vassilieff, afirmam que há moradores contaminados, a partir de exames paralelos patrocinados pelo município. Cláudia chegou a divulgar que há casos de moradores com câncer provocado pelos pesticidas, contrariando a literatura médica que não aponta nexo causal entre a doença e os organoclorados.Zambrone se limitou a dizer que não foi comunicado sobre o processo. A Shell também entrou com representação contra os dois médicos da prefeitura, acusando-os de estarem espalhando pânico entre os moradores. A associação também prepara um processo de indenização contra a indústria por danos à saúde.

Agencia Estado,

05 de setembro de 2002 | 23h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.