Cromossomo masculino está evoluindo depressa, diz estudo

Diferença entre o cromossomo masculino humano e o do chimpanzé chega a 30%, mostra comparação

Associated Press,

13 Janeiro 2010 | 18h07

As mulheres podem achar os homens primitivos, mas uma nova pesquisa indica que o cromossomo Y - a parte do genoma que torna um indivíduo macho - está evoluindo mais depressa que o restante do código genético humano.

 

Genes do pai têm maior influência em sexo do bebê, indica estudo

 

Um novo estudo comparando os cromossomos Y de humanos e chimpanzés, nossos parentes mais próximos, mostra que ele s são 30% diferentes. Isso é bem mais que a diferença média dos dois genomas,de 2%, diz o trabalho publicado na revista Nature.

 

Essas mudanças ocorreram nos últimos 6 milhões de anos, um tempo relativamente recente em termos de evolução.

 

"O cromossomo Y parece ser o que mais depressa está evoluindo entre todos os cromossomos humanos", diz um dos autores do estudo, David Page, diretor do Instituto Whitehead de Cambridge e professor de biologia do MIT. "É um processo quase contínuo de reconstrução genética. É como uma casa que é reconstruída constantemente".

 

Antes que os homens fiquem cheios de si, a autora principal do trabalho, Jennifer Hughes, adverte: não é porque o genoma masculino é o que evolui mais depressa que os homens são mais evoluídos.

 

Pesquisadores fizeram o exame mais detalhado até agora do cromossomo Y, que as fêmeas não têm, em humanos e chimpanzés, e descobriram que seções inteiras são radicalmente diferentes. Há genes inteiros no Y masculino que não aparecem nos chimpanzés.

 

Há algumas razões que os pesquisadores citam para a evolução veloz do Y. Uma é que ele é um cromossomo singular - não é parte de um par, como os demais. Portanto, quando sofre uma mutação, não há uma réplica capaz de encobrir a mudança. Como as mulheres têm dois cromossomos X, ele não sofre dessa peculiaridade.

 

Outra razão tem a ver com o estilo do acasalamento. Quando uma fêmea de chimpanzé entra no cio, ela faz sexo frequentemente e com muitos parceiros, o que gera uma pressão para que os machos produzam o melhor esperma possível para conseguir propagar seus genes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.