Cubanos vêem tempestades solares como causa de enfarte

Um estudo de pesquisadores cubanos alerta para a possibilidade de haver alguma influência de perturbações eletromagnéticas provocadas pelo Sol sobre a ocorrência de enfartes em pessoas propensas a ter doenças cardiovasculares.Os cientistas cruzaram dados de 5.172 pessoas de várias idades que sofreram enfarte do miocárdio, tratadas em hospitais de Havana, com registros de ocorrência de tempestades solares eletromagnéticas.Com auxílio de softwares, eles constataram aumentos no número de mortes entre os cubanos maiores de 64 anos coincidindo com estes fenômenos solares. Contrariando a idéia corrente, foi no inverno, e não no verão, que ocorreram mais enfartes fatais, quando ocorriam também tempestades eletromagnéticas."Os médicos estão acostumados a levar em conta pressão, temperatura e umidade (como fatores desencadeantes de enfarte), mas não trabalham com esta parte do meio ambiente que é o eletromagnetismo a que estamos submetidos", comentou o físico Ramón Rodríguez Taboada, que fez a pesquisa em parceria com o engenheiro Pablo Sierra Figueredo."O corpo humano é capaz de sentir o estresse provocado pelo meio eletromagnético", lembrou ele. O enfarte do miocárdio é a principal causa de morte em Cuba, segundo as autoridades.Nota do Editor: Este texto foi alterado em 18/04/05 para correções no título e no penúltimo parágrafo.

Agencia Estado,

15 de abril de 2005 | 14h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.