Cubatão tem mais uma área contaminada

Mais um depósito clandestino de resíduos industriais tóxicos foi encontrado em Cubatão, São Paulo, em área da Carbocloro, durante as obras de expansão da usina de energia da empresa. A indústria química, que contava com licença ambiental para a terraplanagem, havia doado parte da argila para a prefeitura para fazer cobertura do Aterro Sanitário de Cubatão. A movimentação do solo, durante as obras, porém, provocou a liberação de forte odor, que denunciou a presença das substâncias.Segundo a assessoria da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), as obra foi embargada e a empresa recebeu uma advertência no dia 17 de setembro, quando tiveram início as investigações sobre a contaminação. As análises mostram valores acima dos padrões para os poluentes Hexaclorobenzeno (HCB), Pentaclorofenol (PCP), conhecido como Pó da China, e Percloroetileno (PCE).Atualmente, a Cetesb está avaliando o projeto de remediação apresentado pela empresa, que deverá incinerar ou levar o material para um aterro apropriado. O prazo para a remoção dos 6 mil metros cúbicos de argila do aterro sanitário, considerado um bom aterro pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, é o final do ano.Conforme o órgão ambiental, o problema do aterro será resolvido com a remoção dos resíduos. Quanto à área dentro da empresa, será impermeabilizada e monitorada. Esta é a quarta área contaminada pela Carbocloro em Cubatão reconhecida pela Cetesb.Segundo João Carlos Gomes, diretor da Associação de Consciência à Prevenção Ocupacional (ACPO), a prática de descarte clandestino de resíduos sólidos industriais diretamente no solo, sem a utilização de recursos adequados de contenção geotécnica, foi muito utilizada durante as décadas de 60 e 70 pelas indústrias de Cubatão. Para ele, as empresas se valiam da falta de fiscalização da época e são responsáveis pelo comprometimento do solo e lençol freático em diversos pontos da Baixada Santista e litoral sul paulista, além do sedimento estuarino da região.

Agencia Estado,

18 de novembro de 2002 | 15h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.