<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Cultivo orgânico melhora ação de genes do tomate

Pelo menos dez genes do tomate funcionam melhor quando a planta é cultivada a partir de substâncias em estado natural, o que ocorrem em técnicas orgânicas de agricultura. A constatação foi feita em estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).Cientistas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos constataram que vários genes relacionados com o envelhecimento da planta e à resistência a vários tipos de doença se comportaram melhor nos campos cultivados com as chamadas práticas da agricultura sustentável.Por outro lado, alguns processos importantes ocorreram de forma menos eficiente quando os tomates foram tratados com compostos químicos.O trabalho assinado por Vinod Kumar, Douglas Mills, James Anderson e Autar Mattoo mostra, segundo a Agência Fapesp, como os compostos protéicos do tomate utilizam e mobilizam no campo, com mais eficiência, as moléculas de carbono e nitrogênio presentes nos adubos naturais.E, como conseqüência desses processos biomoleculares, aqueles tomates se tornam mais resistentes e com mais tempo de vida.

Agencia Estado,

07 de julho de 2004 | 12h36

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 8,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 18,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
20, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.