Jornal da Arquidiocese/Divulgação
Jornal da Arquidiocese/Divulgação

D. Murilo Krieger é o novo arcebispo primaz do Brasil

Título é concedido pelo fato de Salvador ter sido a primeira diocese do País

Tiago décimo, O Estado de S. Paulo

12 Janeiro 2011 | 12h46

SALVADOR - O papa Bento 16 nomeou na manhã desta quarta-feira, 12, d. Murilo Krieger como o novo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, título concedido ao arcebispo da cidade pelo fato de a capital baiana ter sido a primeira diocese do País.

Veja também:

link Maior desafio será enfrentar realidade da Bahia, diz arcebispo

Catarinense de Brusque, o religioso de 67 anos era arcebispo de Florianópolis desde 2002 e sucede o cardeal Geraldo Majella Agnelo, que ocupava o cargo em Salvador desde 1999 e havia apresentado sua renúncia ao Vaticano há pouco mais de dois anos, ao completar 75 anos - como previsto no Código de Direito Canônico.

 

Junto com a nomeação de Krieger, o ato do Vaticano declara a aceitação do pedido de Majella. O novo arcebispo de Salvador será empossado em cerimônia realizada na Catedral Basílica, em 25 de março. Ele assumirá a arquidiocese formada por 15 cidades que concentra 2,7 milhões de católicos entre os 3,9 milhões de habitantes, segundo o Vaticano.

 

Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) entre 2003 e 2007, Majella manterá as funções de cardeal, como direito a voto no Vaticano, até completar 80 anos.

 

O anúncio do novo arcebispo ocorre um dia antes da principal celebração religiosa da Bahia, a Festa do Bonfim, que deve reunir 1 milhão de pessoas pelas ruas da Cidade Baixa de Salvador. Em caminhada, os fiéis percorrerão o trajeto de oito quilômetros entre a Igreja da Conceição da Praia e a Basílica do Senhor do Bonfim.

 

Na opinião do padre Edson Menezes, reitor do Bonfim, o momento será de agradecimento e comemoração. "Somos gratos por tudo o que d. Geraldo Majella fez pela diocese e agora aguardamos a chegada de d. Murilo Krieger para comandar o rebanho", diz.

 

Majella ainda presidirá, no dia 16, a celebração solene de encerramento do período de novenas ao Senhor do Bonfim, iniciado no dia 6, na basílica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.