Jornal da Arquidiocese/Divulgação
Jornal da Arquidiocese/Divulgação

D. Murilo Krieger é o novo arcebispo primaz do Brasil

Título é concedido pelo fato de Salvador ter sido a primeira diocese do País

Tiago décimo, O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2011 | 12h46

SALVADOR - O papa Bento 16 nomeou na manhã desta quarta-feira, 12, d. Murilo Krieger como o novo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, título concedido ao arcebispo da cidade pelo fato de a capital baiana ter sido a primeira diocese do País.

Veja também:

linkMaior desafio será enfrentar realidade da Bahia, diz arcebispo

Catarinense de Brusque, o religioso de 67 anos era arcebispo de Florianópolis desde 2002 e sucede o cardeal Geraldo Majella Agnelo, que ocupava o cargo em Salvador desde 1999 e havia apresentado sua renúncia ao Vaticano há pouco mais de dois anos, ao completar 75 anos - como previsto no Código de Direito Canônico.

 

Junto com a nomeação de Krieger, o ato do Vaticano declara a aceitação do pedido de Majella. O novo arcebispo de Salvador será empossado em cerimônia realizada na Catedral Basílica, em 25 de março. Ele assumirá a arquidiocese formada por 15 cidades que concentra 2,7 milhões de católicos entre os 3,9 milhões de habitantes, segundo o Vaticano.

 

Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) entre 2003 e 2007, Majella manterá as funções de cardeal, como direito a voto no Vaticano, até completar 80 anos.

 

O anúncio do novo arcebispo ocorre um dia antes da principal celebração religiosa da Bahia, a Festa do Bonfim, que deve reunir 1 milhão de pessoas pelas ruas da Cidade Baixa de Salvador. Em caminhada, os fiéis percorrerão o trajeto de oito quilômetros entre a Igreja da Conceição da Praia e a Basílica do Senhor do Bonfim.

 

Na opinião do padre Edson Menezes, reitor do Bonfim, o momento será de agradecimento e comemoração. "Somos gratos por tudo o que d. Geraldo Majella fez pela diocese e agora aguardamos a chegada de d. Murilo Krieger para comandar o rebanho", diz.

 

Majella ainda presidirá, no dia 16, a celebração solene de encerramento do período de novenas ao Senhor do Bonfim, iniciado no dia 6, na basílica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.