Dançarina de discoteca que virou freira dançará em basílica

Conversão veio quando Anna Nobili tinha 25 anos, depois de uma visita à cidade de Assis, terra de São Francisco

EFE,

03 de abril de 2009 | 14h21

Uma dançarina especializada em "lap-dance" que animava as noites de Milão e se tornou depois freira dançará no próximo dia 7 na Basílica romana de Santa Cruz de Jerusalém, em um ato presidido pelo presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, o arcebispo Gianfranco Ravasi.

 

O jornal La Repubblica publica a entrevista com a irmã Anna Nobili, de 38 anos, ex-dançarina que reconhece que "estava levando uma vida com álcool e sexo, sem amor verdadeiro" até que, aos 25 anos, visitou a cidade natal de São Francisco, Assis, onde sentiu o chamado de Deus.

 

"Tinha 25 anos e dançava desde os 18. Depois em Assis, diante da Igreja de Santa Clara, surpreendida pelo céu, pelas cores, pela paz, comecei a dançar entre o assombro das pessoas", explicou.

 

"Quando retornava de trem a Milão senti que Deus estava dentro de mim. Tinha renascido, estava transfigurada", disse irmã Anna, vestida com seus hábitos das Freiras Operárias da Santa Casa de Jerusalém, após ter feito votos perpétuos em setembro do ano passado na catedral de Palestrina, nos arredores de Roma.

 

Irmã Anna reconhece que é uma afortunada já que, longe de recriminar sua antiga atividade, o bispo de Palestrina, Domenico Sigalini, a encarregou de ensinar dança sacra contemporânea no centro pastoral juvenil da diocese.

 

"Um trabalho que desenvolvo com paixão e entusiasmo porque posso levar tantos jovens, garotos, crianças, a um caminho de fé e de busca artística no mundo fascinante da dança que trago sempre dentro de mim", explica.

 

Com o mesmo entusiasmo, irmã Anna dançará perante bispos, cardeais e fiéis na Basílica da Santa Cruz de Jerusalém onde será realizado o ato biblioteológico presidido pelo arcebispo Gianfranco Ravasi, considerado o ministro de Cultura da Santa Sé, que abençoará a Capela da Palavra e apresentará um livro.

 

Para irmã Anna, "rezar com o corpo" é seu objetivo: "entramos assim em sintonia com a Palavra de Deus. Justamente como ensina São Paulo quando diz que o corpo é o templo do Espírito Santo".

 

A superior das Freiras Operárias da Santa Casa de Jerusalém, irmã Paula, confirmou a história de irmã Anna "embora os meios de comunicação às vezes exageram, mas sim, era uma dançarina de discoteca", e assegurou que a freira dançará na basílica romana.

 

"Após uma bela conversão, irmã Anna é agora uma freira santa que ama muitíssimo o Senhor", disse.

 

"Além disso criou uma escola que se chama Holy Dance (Dança Sacra) que ajuda a catequizar crianças através da dança", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
freiradançarinadançavaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.