Degelo do Ártico pode já ser irreversível, dizem cientistas

A perda maciça de gelo ártico por derretimento pode transformar em irreversível o aquecimento do planeta, o que causaria uma alta dramática do nível dos mares, advertem cientistas britânicos. Satélites indicam que o Ártico está com suas massas de gelo 18,2% abaixo de seus níveis médios tradicionais, um recorde.O efeito estufa está derretendo o gelo ártico em um ritmo que faz com que a região polar absorva cada vez mais calor do planeta, o quecontribui para aumentar esse mesmo processo em um círculo vicioso deconseqüências imprevisíveis, alerta hoje o jornal The Independent.O maior temor dos especialistas é que o Ártico esteja a ponto dealcançar um ponto de não retorno a partir do qual nada pode revertero desaparecimento progressivo dessas massas de gelo e dos glaciaisda Groenlândia.O gelo do mar se funde no verão e se reconstitui no inverno, mas,pela primeira vez, no último inverno os cientistas descobriram que arecuperação foi muito insuficiente. Em setembro de 2002, a camada gelada do Ártico atingiu seu nível mais baixo desde que são feitos esses registros, segundo as fontes.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

17 de setembro de 2005 | 17h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.