Demanda por óleo de dendê ameaça orangotangos

A alta demanda da indústria internacional por óleo de dendê pode levar o orangotango à extinção dentro de 12 anos, de acordo com um relatório divulgado nesta sexta-feira pelo grupo Friends of the Earth em conjunto com grupos internacionais de proteção de símios. O relatório diz que as plantações de dendezeiros se tornaram a principal razão do declínio da espécie na Indonésia e na Malásia.Especialistas acreditam que cerca de 5 mil orangotangos morrem por ano.O relatório calcula que 90% do habitat dos orangotangos foi destruído pelas plantações.Alarmismo?O Friends of the Earth diz que o óleo de dendê é encontrado, em média, em cerca de um em cada dez produtos ocidentais industrializados."Calcula-se que um terço da população de orangotangos na ilha indonésia de Bornéo foi morta por queimadas em florestas tropicais em 1998", disse o relatório. Ele acusa as companhias que fabricam óleo de dendê de responsabilidade pelas queimadas.O grupo ambientalista Fundo Mundial para a Natureza (WWF) havia alertado em agosto contra planos de se criar uma área do tamanho da Holanda para plantação de dendezeiros em Bornéo.O WWF da Malásia, entretanto, descartou a possibilidade de extinção dos orangotangos nas próximas décadas, dizendo que essa possibilidade seria mais "alarmismo do que realismo".

Agencia Estado,

23 de setembro de 2005 | 15h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.