Dente fossilizado revela crocodilo pré-histórico

Um dente serrilhado, encontrado 15 anos atrás numa estrada de General Salgado, no interior de São Paulo, permitiu uma das maiores descobertas paleontológicas recentes no Brasil: um cemitério de Baurusuchus salgadoensis, espécie de crocodilomorfo até então desconhecida e extinta há 90 milhões de anos.Em General Salgado, os pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Museu de Paleontologia de Monte Alto, em São Paulo, encontraram fósseis de 14 crocodilomorfos - 11 deles pertencentes à nova espécie Baurusuchus salgadoensis.Eles se diferem dos demais Baurusuchus por causa de uma protuberância sobre as órbitas, que protegia os olhos da radiação solar, e a estrutura nasal diferente.Pernas eretasO Baurusuchus salgadoensis tinha cerca de três metros de comprimento e pesava 400 quilos. As pernas eretas permitiam que se deslocasse por grandes distâncias.Também tinha narinas frontais, o que indica hábitos terrestres. Os dentes serrilhados levam à conclusão de que era um "feroz predador"."Talvez tivessem até um comportamento carniceiro da própria espécie, na falta de água", diz o geólogo da UFRJ, Ismar de Souza Carvalho, que dividiu a pesquisa com Pedro Henrique Nobre e o diretor do Museu de Monte Alto, Antônio Celso de Arruda Campos.SupercontinenteOs fósseis encontrados na Bacia de Bauru revelaram que a região era suscetível a catástrofes meteorológicas, com secas intensas alternadas com terríveis enxurradas.E ajudam a comprovar a tese sobre a existência do supercontinente Gondwana, que reunia América do Sul, Antártida, África, Índia e Austrália - parentes próximos do Baurusuchus salgadoensis foram encontrados no Paquistão.Carvalho acredita que o Baurusuchus salgadoensis se enterrava em sedimentos lodosos, em busca da umidade do solo para evitar o ressecamento do corpo, nos períodos prolongados de seca.Se a chuva não chegasse a tempo, acabava morrendo e era soterrado quando as tempestades torrenciais - embora curtas - atingiam a região. Por isso os fósseis de General Salgado estavam tão bem preservados.Nota do Editor: Este texto foi alterado em 09/06/05 para mudança no título e inclusão de links de matérias relacionadas

Agencia Estado,

08 de junho de 2005 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.