Denúncia leva à apreensão de palmeiras de palmito

Uma denúncia anônima, informando local e horário do transporte clandestino de palmitos, levou aPolícia Ambiental do Vale do Paraíba a fazer uma grande apreensão de palmeiras em uma área de preservação permanente em São Luiz do Paraitinga.Por volta das 23h30 desta segunda-feira, policiais foram até o Parque Estadual da Serra do Mar e flagraram dois homenscarregando 376 palmeiras do tipo ?Jussara?, de cerca de 2,5 metros cada.As palmeiras, que demoram cerca de 20 anos para crescer, foram arrancadas do Núcleo Santa Virgínia, área do Parque Estadual da Serra do Mar. No local, foram presos Roberto Lopes de Siqueira e Ailton de Souza, da cidade de Lorena. Eles disseram que estavam apenas ajudando no transporte das árvores e não revelaram o destino do palmito in natura.A polícia civil acredita que outras pessoas estejam envolvidas no crime ambiental. ?Estes são apenas uma parte de um grupo que vive da extração ilegal de palmito, benefício e comercialização?, informou o delegado Clóvis Puccinelli Alves.A polícia investiga o destino da carga e as empresas clandestinas que fazem o beneficiamentodo palmito. ?Não são eles que cortam, nem que beneficiam. Existem mais pessoas por trás.? Osdois homens terão que responder por crime ambiental e podem pegar de 1 a 5 anos deprisão.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2003 | 18h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.