Depois de educação sexual, Hua Mei, a panda, engravida

Hua Mei está grávida. Esta é uma ótima notícia para os conservacionistas preocupados com o risco de extinção dos pandas gigantes da China. Mas é melhor ainda para os veterinários chineses, que achavam que Hua Mei, criada em cativeiro, não estava pronta para os ?namoros às cegas? que ocorrem em seu habitat natural.No entanto Hua Mei, conforme anunciaram hoje as autoridades chinesas, engravidou, ?por meios naturais?, poucos meses depois de chegar a seu novo lar no sudoeste chinês. Ela nasceu nos Estados Unidos ? seu nome, Hua Mei, significa China-América em mandarim -, no Zôo de San Diego, filha de dois pandas emprestados pela China.Quatro anos depois, ela foi o primeiro panda nascido no exterior a retornar a seus bosques ancestrais. Mas os veterinários preocupavam-se com seus parcos conhecimentos de como se acasalar depois de viver toda a vida em cativeiro. Resolveram o problema mostrando-lhe vídeos sobre copulação de pandas.A educação sexual deu certo. Hua Mei deve dar à luz em setembro, segundo informa o Pequim Morning Post, citando pesquisadores do Centro de Proteção ao Panda Gigante de Wolong.A China tem gasto consideráveis esforços para proteção do panda gigante, seu mascote não oficial. Embora a população chinesa desses animais tenha crescido, a espécie continua nas listas de ameaçadas, por causa da pesada destruição de seus habitats. Além disso, os grupos de pandas vivem longe uns dos outros, tornando difícil garantir sua alimentação.O governo anunciou, na semana passada, que o número de pandas vivendo na natureza, na China, subiu mais de 40%, para 1.590, desde o início dos anos 90. O World Wildlife Fund adverte que o número deve ser atribuído mais à sobrevivência do que a um real aumento no número de pandas nascidos.

Agencia Estado,

16 de junho de 2004 | 13h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.