Depósito de pneus em Sorocaba pode ser foco da dengue

O Ministério Público Estadual vai exigir a remoção de um depósito com 5 milhões de pneus usados mantido por uma empresa fabricante de tapetes para autos, no distrito industrial de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo.Segundo o vereador João Donizete Silvestre (PSDB), que fez uma representação ao MP, o depósito pode ter se transformado num grande criadouro do mosquito Aedes Egypti, transmissor da dengue.Embora a cidade tenha registrado apenas seis casos da doença, na maioria dos quais as pessoas contaminaram-se em outras regiões, o número de focos do mosquito aumentou mais de 200% nos últimos 12 meses.O depósito pertence à indústria Borcol, que utiliza os pneus como matéria-prima para fazer tapetes, e começou a se formar há 20 anos. Hoje, é um risco para a saúde pública, segundo a chefe da Seção de Prevenção e Controle de Zoonoses da Vigilância Sanitária, Ana Maria Gonçalves Rodrigues.?Além de servir à procriação do mosquito, pode ocasionar um incêndio, com graves conseqüências ambientais.?A área é monitorada pela Vigilância há dois anos e já não recebe mais pneus. A empresa tem capacidade para triturar apenas mil unidades por dia.O local está sendo nebulizado com produtos químicos para matar as larvas do mosquito. O MP notificou a empresa para que apresente um plano visando a remoção dos pneus. Os departamentos técnico e jurídico da empresa estão estudando uma solução.

Agencia Estado,

18 de janeiro de 2002 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.