Universidade de Nottingham
Universidade de Nottingham

Descendentes da ovelha Dolly envelhecem normalmente, diz estudo

Pesquisadores do Reino Unido realizaram primeira avaliação de longo prazo sobre o estado de animais clonados; 13 foram analisados e estão saudáveis

Fábio de Castro, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2016 | 12h00

SÃO PAULO - Os clones da ovelha Dolly estão envelhecendo de normalmente, de acordo com um novo estudo publicado nesta terça-feira, 26, na revista Nature Communications. Primeiro animal a ser clonado a partir de uma célula adulta, há 20 anos, a ovelha Dolly foi sacrificada em 2003 aos 6,5 anos de idade, depois de desenvolver osteoartrite.

Após sua morte precoce - com cerca da metade da expectativa de vida da espécie -, especulou-se que animais clonados poderiam ter vida mais curta, ou menos saudável. 

Mas, no novo estudo, um grupo de pesquisadores da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, analisou 13 ovelhas clonadas, incluindo quatro derivadas da mesma linhagem de células de Dolly e concluiu que as ovelhas chegaram saudáveis à velhice.

Os animais têm entre 7 e 9 anos - o equivalente a 60 a 70 anos em idade humana. De acordo com a pesquisa, as ovelhas clonadas não apresentaram nenhum efeito de saúde de longo prazo.

Segundo os autores do artigo, o estudo é a primeira avaliação de longo prazo sobre a saúde de animais clonados a partir de células adultas.

A ovelha Dolly foi o primeiro animal da história a ser clonado a partir de uma célula adulta com uma técnica conhecida como transferência nuclear de célula somática (SCNT, na sigla em inglês).

A pesquisa foi liderada por Kevin Sinclair, da Universidade de Nottingham. "Apesar dos avanços tecnológicos dos últimos anos, a eficiência do SCNT permanece baixa, mas há vários grupos em todo o mundo trabalhando nesse problema neste momento e há razões para ficarmos otimistas sobre seu potencial para trazer avanços no futuro", disse.

Os cientistas submeteram os animais a avaliações dos músculos e esqueletos, a testes metabólicos e medições de pressão sanguínea, além de exames radiológicos de todas as articulações principais. Os resultados dos testes com as ovelhas clonadas foram comparados com os de um grupo de controle de ovelhas normais com idades de 5 a 8 anos. Os animais também foram testados para tolerância a glucose e sensibilidade a insulina.

O estudo concluiu que todas as ovelhas, além de vivas, ainda estão saudáveis e apresentam apenas leves sintomas de osteoartrite. Os animais também não apresentaram sinais de doenças metabólicas e têm pressão sanguínea normal. "O envelhecimento saudável dos clones SCNT ainda não havia sido devidamente investigado. Não foram feitos estudos detalhados de sua saúde. Era claramente uma área relevante a ser pesquisada", disse Sinclair. 

"Uma das preocupações nos primeiros dias era que os descendentes de clones pudessem envelhecer prematuramente, e a Dolly foi diagnosticada com osteoartrite com a idade de cinco anos. De acordo com nossas detalhadas avaliações, concluímos que nossos clones, considerando a idade, estão totalmente saudáveis", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULODollyReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.