Descoberta bactéria que pode ajudar no combate a dengue

Um grupo de cientistas dos Estados Unidos conseguiu infectar os mosquitos portadores da dengue com uma bactéria que ajuda os insetos a desenvolver uma resistência contra o vírus, segundo um estudo divulgado hoje pela revista Science.Os cientistas, da Universidade de Kentucky e da Universidade Johns Hopkins, na cidade de Baltimore (Maryland), asseguraram que a descoberta é crucial nos esforços para controlar a doença, que afeta cerca de 100 milhões de pessoas no mundo todo a cada ano.A dengue clássica e sua variante hemorrágica são transmitidas às pessoas pelo mosquito Aedes Aegypti, que é o vetor do vírus entre uma pessoa e outra.Os principais sintomas da dengue, que ataca principalmente as regiões tropicais, são as dores de cabeça, de costas e de articulações; febre, náusea, vômitos, problemas de visão e brotoejas.No caso da dengue hemorrágica, a febre pode durar até sete dias e depois dos sintomas da dengue comum, começam hemorragias que podem levar à morte por problemas circulatórios.Até agora não existe um medicamento específico contra a dengue comum ou a dengue hemorrágica, nem uma vacina.Um dos enfoques mais promissores contra a doença seria criar uma população de mosquitos resistentes ao vírus do dengue, algo que os cientistas americanos parecem ter conseguido.Segundo o estudo, a forma de controlar a doença seria a criação genética de um mosquito resistente ao vírus do dengue.Esta tarefa corresponderia à bactéria Wolbachia, que provoca um fenômeno denominado incompatibilidade citoplasmática nas fêmeas.Testes de laboratório demonstraram a capacidade da bactéria de difundir-se em uma população do vírus A.aegypti e deter sua propagação em sete gerações, afirmaram os médicos.

Agencia Estado,

13 de outubro de 2005 | 21h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.