Descoberta espécie primitiva de formiga na Amazônia

Formiga 'marciana' se diferencia de suas congêneres modernas e têm pequenas pinças junto aos maxilares

Efe

15 de setembro de 2008 | 18h16

Cientistas alemães descobriram na selva amazônica uma nova espécie de formiga, tão estranha e diferente de suas irmãs, que se pode considerar como "marciana", ou vinda de outro planeta, anunciou nesta segunda-feira, 15, um porta-voz do Museu de Ciências Naturais de Karlsruhe.   A raridade da nova formiga, considerada a mais primitiva das existentes, está presente no nome científico que recebeu: Martialis heureka, que traduzido livremente poderia significar "Hurra, achei uma vinda de Marte!"   De cor branca, depredadora, cega e de três milímetros de comprimento, ela é uma formiga fêmea, trabalhadora e estéril, encontrada casualmente pelo entomologista alemão Christian Rabeling.   Cinco anos antes, seu colega Manfred Verhaagh, também entomologista de Karlsruhe, havia encontrado outros exemplares, mas estes foram destruídos acidentalmente antes de sua análise, para desespero dos cientistas.   "Ter conseguido encontrar um terceiro exemplar é como acertar em uma loteria primitiva", disse Verhaagh ao apresentar a descoberta.   A formiga "marciana" se diferencia de suas congêneres mais modernas que, entre outras coisas, têm pequenas pinças junto aos maxilares com que captura suas presas.   Rabeling e Verhaagh destacaram que o novo inseto é tão estranho que, pela primeira vez em 85 anos, foi aberta uma nova subfamília das formigas, batizada como Martialinae, as "que vêm de Marte".   Ambos presumem que as formigas "marcianas" existem há mais de 120 milhões de anos e não descartam que possam encontrar novas espécies da mesma família, desconhecida até agora, nos úmidos solos da Amazônia, ocultas em folhas e madeira em estado de putrefação.

Tudo o que sabemos sobre:
meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.