Reprodução
Reprodução

Descoberta gruta no Líbano com afrescos e estátuas romanos

'Este achado será benéfico para estudar arte de duas eras e os rituais dos enterros romanos', disse pesquisador

Efe,

06 Outubro 2009 | 15h07

Uma missão arqueológica japonesa descobriu na cidade libanesa de Tiro, no sul do país, uma gruta decorada com afrescos e estátuas da época romana, informa nesta terça-feira, 6, a imprensa libanesa.

 

A caverna, de três metros de altura e 12 de largura, foi achada em uma zona rochosa na localidade de Burj Shimali, ao leste da localidade de Tiro.

 

Os afrescos, que representam plantas, animais e pássaros, decoram as paredes do lugar, em cujo solo há vários mosaicos, afirmou o arqueólogo libanês Nader Siqlawi da Direção Geral de Antiguidades do Líbano (DGA).

 

Esta descoberta foi realizada por sete arqueólogos da Universidade japonesa de Nara, dirigido pelo chefe do departamento de Preservação da Propriedade Cultural, Mishyama Yushi, que colabora desde 2008 com a Direção Geral de Antiguidades libanesa.

 

"Este achado será benéfico para estudar a arte de duas eras e os rituais dos enterros romanos", acrescentou Siqlawi.

 

Tiro, fundada pelos fenícios no terceiro milênio a.C., está situada a cerca de 85 quilômetros ao sul de Beirute.

Mais conteúdo sobre:
arqueologia Líbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.