Descoberta nova forma de induzir produção de células-tronco

Segundo cientistas, técnica poderia contribuir na recuperação de ataques cardíacos e fraturas em ossos

Efe,

08 de janeiro de 2009 | 20h12

Uma equipe de cientistas do Imperial College de Londres desenvolveram um novo método para fazer com que a medula óssea libere um número maior de células-tronco reparadoras de tecido na corrente sanguínea.   Os pesquisadores explicaram em artigo publicado nesta quinta-feira, 8, pela revista americana Cell Stem Cell como esta descoberta poderia contribuir, no futuro, nos processos de recuperação de ataques cardíacos e fraturas em ossos.   A medula óssea libera diferentes tipos de células-tronco quando uma pessoa sofre com alguma doença ou ferimento. E os cientistas ingleses conseguiram, pela primeira vez, induzir com substâncias químicas o aumento destes tipos de célula.   Uma das células produzidas no laboratório tem o poder de se transformar em ossos ou cartilagens, e suprimir a ação do sistema imunológico. Já a outra variedade consegue formar vasos sanguíneos e pode reparar danos no coração.   Os cientistas conseguiram aumentar a produção destas células-tronco adultas "enganando", com um coquetel de remédios, um grupo de ratos de laboratório.   Os animais que receberam os as substâncias liberaram cem vezes mais células-tronco na corrente sanguínea.   A partir de agora, os cientistas devem verificar se uma maior concentração de células reparadoras no sangue se traduz em um aumento de velocidade e capacidade de reparação dos tecidos.   Caso os resultados sejam alcançados, seria possível desenvolver tratamentos para problemas cardíacos e fraturas ósseas, além de combate a doenças nas quais o corpo é atacado por seu próprio sistema imunológico, como a artrite reumatóide.

Tudo o que sabemos sobre:
células-tronco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.