Descoberto planeta da primeira geração do Universo

O planeta mais antigo e mais distante já descoberto tem 13 bilhões de anos, apenas um bilhão a menos que a idade estimada do Universo. Ele se encontra a 5.600 anos-luz, na constelação de Escorpião, e sua presença pode mudar as teorias atuais sobre a formação de planetas e o surgimento da vida.O planeta, um gigante gasoso com mais que o dobro do tamanho de Júpiter, orbita duas estrelas, um pulsar e uma anã branca. O sistema encontra-se num aglomerado de estrelas chamado M4. ?Todas as estrelas nesse aglomerado têm praticamente a mesma idade, então supomos que o planeta também?, disse o astrônomo Harvey Richer.Alan Boss, um astrônomo da Carnegie Institution em Washington, disse que a descoberta de umplaneta tão antigo é uma ?revelação surpreendente?. ?Isso significa que, 13 bilhões de anos atrás, a vida poderia ter surgido e depois sido extinta?, afirmou. ?As implicações são imensas?.Nos últimos anos, já foram descobertos 107 planetas fora do Sistema Solar, todos com idades próximas à do Sol, 4,5 bilhões de anos. Acreditava-se que planetas não pudessem existir antes que pelo menos a primeira geração de estrelas do Universo tivesse morrido - elementos mais pesados que o hélio e o hidrogênio, como o carbono e o ferro, são criados no coração de estrelas e liberados no espaço quando elas morrem.O Sol é uma estrela da terceira geração, mas as estrelas do aglomerado M4 são da primeira.

Agencia Estado,

10 de julho de 2003 | 20h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.