Descoberto "planeta impossível" em sistema com 3 estrelas

Um planeta recém-descoberto fora do Sistema Solar ocupa uma posição, em meio a três estrelas, que é impossível segundo as teorias atuais sobre formação planetária. A descoberta, do astrônomo Maciej Konacki,do Instituto de tecnologia da Califórnia, é noticiada pelo website da revista Nature.O planeta de Konacki fica num sistema estelar triplo conhecido como HD 188753, na constelação do Cisne. A estrela principal do sistema é muito semelhante ao Sol, mas o planeta, 14% maior que Júpiter, orbita-a a uma distância de 8 milhões de quilômetros, ou 5% da distância entre a Terra e o Sol.Segundo a teoria atual sobre formação de planetas, esse "Júpiter gigante" não poderia ter surgido onde está: acredita-se que planetas se formem com material acumulado ao redor de núcleos de gelo, e esse novo mundo fica muito perto de sua estrela para ter surgido assim. A explicação tradicional para a posição do planeta seria a de que ele surgiu mais longe de sua estrela e migrou para perto - mas aí entram as outras duas estrelas do sistema, que giram em torno uma da outra e, também, do mesmo sol central: elas teriam engolido qualquer material mais distante que pudesse formar um planeta.Uma hipótese é de que o planeta de HD 188753 tenha nascido exatamente onde está, mas a partir de um núcleo de materiais menos voláteis que gelo comum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.