Descoberto segredo da temperatura das colmeias

As abelhas podem parecer todas iguais, mas são suas diferenças que as tornam mais eficientes como grupo. Elas gostam de manter a temperatura, nas colmeias, em cálidos 32 a 36 graus e o conseguem aglomerando-se para aumentar o calor ou agitando as asas para refrescá-las, quando o calor aumenta demais.Agora, os cientistas australianos descobriram que as colmeias que incluem abelhas de diferentes pais ? resultando em diversidade genética ? tornam esse processo mais suave e mais eficiente. A descoberta de Julia C. Jones e seus colegas da Universidade de Sydney foi publicada pela última edição da revista Science.Os pesquisadores estudaram colmeias comuns, na qual a rainha foi fertilizada por vários zangões e as comparou com outras, onde usou-se inseminação artificial para assegurar que apenas um macho copulou com a rainha. Verificou-se que abelhas de progenituras diferentes começam a agitar as asas a diferentes temperaturas.Isto significa que, nas colmeias comuns, assim que a temperatura sobe, mais e mais abelhas interromperão suas tarefas e começarão a bater asas para refrescar o ambiente. Ao contrário, assim que a temperatura começar a cair, várias pararão e voltarão ao trabalho, enquanto outras manterão a agitação. O resultado será uma temperatura estável na média.Mas em colmeias de um único macho, mais obreiras tenderão a começar a bater asas ao mesmo tempo, resultando em um sobe e desce de temperatura em comparação com as colmeias comuns.

Agencia Estado,

24 de junho de 2004 | 14h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.