Descoberto verme submarino que usa 'bomba' para se defender

Espécies que vivem nas profundezas do Pacífico liberam esferas luminosas para confundir predadores

Associated Press,

20 Agosto 2009 | 17h13

A mais de três quilômetros de profundidade, no Oceano Pacífico, vivem vermes que são capazes de destacar pedaços esverdeados do próprio corpo, uma ação que os cientistas imaginam ser um esforço para confundir agressores. Pesquisadores apelidaram as criaturas recém-descobertas de "bombardeiros verdes".

 

As sete novas espécies de verme foram encontradas por uma equipe liderada por Karen Osborn, da Instituição Scripps de Oceanografia, ligada à Universidade da Califórnia, San Diego. A descrição dos novos animais aparece na edição desta semana da revista Science.

 

"Descobrimos todo um grupo de animais grandes e extraordinários, dos quais nada sabíamos", disse Karen, em uma nota. "Estes não são animais raros. Frequentemente, nós os vimos às centenas. O fato é que vivem num hábitat do qual é realmente difícil obter amostras".

 

Um dos vermes recém-descobertos no oceano. Setas marcam a localização das "bombas". Divulgação

 

Com tamanhos que variam de quase 2 centímetros a quase 10 centímetros, os vermes vivem numa faixa de profundidade que vai de 1,8 km a 3,6 km, e foram descobertos por submarinos de controle remoto no nordeste e no oeste do Pacífico.

 

"Eles fazem um uso muito estranho da bioluminescência", explica a cientista.

Esses vermes têm apêndices, alguns redondos, outros ovais ou alongados, que soltam quando são perturbados, disse ela. Uma vez liberado, o apêndice brilha com luz verde. 

 

"Eles soltam um ou dois de cada vez, e se você  continuar a perturbá-los, eles continuarão a soltar", disse ela, acrescentando que os vermes são capazes de regenerar essas "bombas de luz".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.