Descobertos elétrons de alta carga energética próximo à Terra

Eles têm entre300 e 800 gigavolts e uma procedência que deve estar em alguma zona próxima ao Sistema Solar

Efe

20 de novembro de 2008 | 18h15

Um grupo de cientistas de vários países, entre os quais a China, descobriu elétrons com uma "inesperada" alta carga energética na radiação cósmica próxima à Terra. Chang Jin é astrofísico do Observatório da Montanha Púrpura, no leste da China, e membro da equipe que conseguiu detectar estes elétrons, com uma energia de entre 300 e 800 gigavolts e uma procedência que deve estar em alguma zona próxima ao Sistema Solar. A descoberta foi possibilitada graças a sensores Atic (sigla em inglês para Calorímetro Avançado de Baixa Ionização) enviados com balões de hélio a uma altura de 35 quilômetros sobre a Antártida. Segundo Chang, o excesso de elétrons de alta energia identificado nos raios cósmicos não é freqüente em outros casos, quando estes têm origem nos restos de supernovas que se estendem pela galáxia. O cientista chinês antecipou que a energia poderia proceder da destruição de "matéria escura", termo com o qual os cientistas se referem aos elementos do cosmos que hoje não podem ser estudados por não emitirem radiação suficiente. A descoberta está na última edição da revista Nature, e, segundo seus autores, poderia ser decisiva na compreensão tanto da matéria escura quanto dos raios cósmicos, dois fenômenos que para os cientistas continuam encerrando muitos enigmas. Um deles destacou inclusive à imprensa chinesa que a descoberta "poderia mudar a forma de entender o universo".

Tudo o que sabemos sobre:
ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.