Desenvolvimento da Austrália pode acabar com os coalas

Já existiram 10 milhões de coalas na Austrália na época da colonização européia, em 1788, dos quais sobraram, atualmente, cerca de 100.000, segundo cálculos da Fundação Australiana do Coala. E podem desaparecer totalmente do litoral leste da Austrália em 12 anos, como resultado da expansão agrícola e urbana da região, advertiu, hoje, a fundação.A ong planeja apresentar evidências, ao governo federal, no mês que vem, provando que o marsupial, um dos animais mais conhecidos e cultuados da exótica fauna australiana deveria estar listados como espécie vulnerável, a fim de ter seu habitat protegido, diz a diretora executiva Deborah Tabart.?Acreditamos ter informações inéditas e acredito que nenhuma comissão científica tenha visto algo como isto?, insiste Deborah.Como os cangurus, os coalas tem apenas um filhote por vez e o mantêm em uma bolsa. Passam a maior parte do dia dormindo nos galhos das árvores e vagueando à noite ? uma hora em que correm risco maior de serem atacados por cães e atropelados por carros.Milhões foram mortos por causa de sua pele, antes que fossem protegidos por uma lei federal em 1936. Mas suas florestas ? os coalas alimentam-se apenas das folhas de certos eucaliptos ? não estão protegidas da destruição.A fundação ? um grupo não governamental registrado tanto nos EUA como na Austrália ? pesquisou 1.000 habitats de coalas a leste da Grande Faixa Divisória, onde as florestas de eucaliptos estão desaparecendo sob a expansão da atividade humana.?Podemos mostrar que, se tudo continuar como está agora, a extinção ocorrerá em 12 anos?, diz Deborah. ?A leste da Grande Divisória, será muito difícil manter os coalas protegidos, a menos que ocorra uma grande mudança em nosso uso da terra.?Ter uma das espécies nativas mais amadas e conhecidas da Austrália reconhecida como vulnerável por leis federais levará a controles rígidos sobre os habitats remanescentes, segundo a diretora.A fundação informou ao ministro do Meio Ambiente, David Kemp, que seu relatório com a situação atual dos coalas será enviado a seu gabinete no próximo mês. Mas não houve resposta oficial.O governo anterior do Partido Trabalhista rejeitou o pedido da fundação de colocar os coalas na lista de espécies vulneráveis, em 1995. Desde então, dois estados australianos listaram o marsupial como animais ameaçados sob suas próprias leis.Na contramão dessa tendência, a população de coalas explodiu na Ilha do Canguru, na costa sul, onde foram introduzidos pelos colonos europeu. Um parlamentar sugeriu que 20.000 deles sejam exterminados.

Agencia Estado,

09 de junho de 2004 | 14h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.