<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Desmatamento no Brasil entra no <i>Guinness 2005</i>

A nova edição do livro dos recordes, que chega às lojas em novembro, vai apresentar o Brasil como recordista em áreas desmatadas. Segundo o Guinness 2005, o País perdeu no século passado uma área de florestas equivalente ao Estado de Sergipe. A média anual de devastação de matas entre 1900 e 2000 foi de 22. 264 mil km².A China, segundo a publicação, é o país que mais planta árvores. Na década de 90 o replantio abrangeu 18 mil km² do território, uma área equivalente ao Kuwait.O Guinness 2005 mostra também os Estados Unidos como recordistas em emissão de dióxido de carbono (CO2), com quase 6 bilhões de toneladas lançadas na atmosfera em 2001. O CO2 é um dos principais gases causadores do aquecimento global e os Estados Unidos são os principais oponentes ao Protocolo de Kioto, que estabelece a redução gradativa das emissões em todo o mundo.A metrópole com o ar mais poluído no mundo é a Cidade do México, os finlandeses são os mais preocupados com o meio ambiente, a Alemanha tem o maior índice de reciclagem de papel e papelão (até 80%) e a Suíça é recordista em reciclagem de vidro (91%).   leia mais sobre florestas

Agencia Estado,

27 de agosto de 2004 | 10h56

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.