Desprendimento de gelo na Antártida afeta a biodiversidade

Desprendimento tem uma estreita ligação com a duração do gelo marinho de inverno

Efe

17 de julho de 2008 | 14h53

O desprendimento de gelo como resultado da mudança climática está dizimando a biodiversidade nas águas pouco profundas da Antártida, afirma um estudo divulgado nesta quinta-feira, 17, na revista Science.   Esse problema poderia ter conseqüências graves para as criaturas oceânicas, como os vermes antárticos, aranhas marinhas e ouriços do mar, por causa da redução na plataforma de gelo, assinala o estudo realizado por cientistas do Instituto Antártico Britânico, na península ocidental da Antártida.   Segundo os cientistas, o desprendimento do gelo tem uma estreita ligação com a duração do que qualificam como "o gelo marinho de inverno".   Acrescentam que esse gelo diminuiu drasticamente, tanto em área coberta como em duração, em toda a região durante as últimas décadas, devido à mudança climática.   Este aumento nas mudanças dos icebergs e sua influência sobre o fundo marinho, onde se desenvolve cerca de 80% da vida antártica, poderia ter conseqüências graves para os animais a uma profundidade de cerca de 500 metros, disseram os cientistas no estudo.   Segundo Dan Smale, cientista do Instituto Antártico Britânico, até o momento se acreditava que as alterações poderiam ser controladas pela formação de gelo no inverno, mas ninguém havia feito as medições correspondentes.   O informe do estudo indicou que os mergulhadores do Instituto mantiveram instaladas, durante cinco anos, pequenas redes de concreto no fundo do mar, para determinar a freqüência dos desprendimentos e verificar seu efeito através da análise do impacto que haviam recebido.   Segundo Smale, durante as temporadas com bastante gelo de inverno, a alteração era relativamente baixa.   Ao contrário, em anos de baixa formação de gelo o fundo marinho recebia o impacto dos gelos desprendidos.   O aumento do desprendimento dos icebergs sobre o fundo marinho alterava o tipo e o número das criaturas marinhas e poderia causar mudanças na distribuição de espécies chave, indicou o estudo.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalfaunaoceanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.