Destinação do lixo é preocupação de comunidades amazônicas

Idealizada para envolver as populações ribeirinhas da Amazônia na busca de garantias para sua sobrevivência, melhor qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na região, a Caravana Mergulhão continua neste fim de semana sua missão, visitando a comunidade de Cristo Rei do Anebá.O objetivo principal dos ambientalistas do WWF-Brasil e dos membros da Associação de Silves pela Preservação Ambiental e Cultural (Aspac) é levantar as potencialidades de cada uma das 13 comunidades localizadas nas margens do Lago Canaçari, no município de Silves, no Amazonas. Entre as possibilidades estão a produção de alimentos ou peças de artesanato, além de identificar locais para desenvolvimento de novas trilhas de ecoturismo, praias ou áreas de interesse para visitação. Na semana passada, as comunidades visitadas foram São Sebastião do Rio Itapani e São João. Segundo Davis Gruber Sansolo, professor da área de turismo da Faculdade Anhembi Morumbi e consultor do programa, no primeiro povoado foram desenvolvidas atividades lúdicas e palestras, com a participação de cerca de 60 pessoas do entorno, sem contar as crianças. Entre as prioridades elencadas pelos moradores de São Sebastião, estão a destinação do lixo que, por falta de coleta, é depositado em encostas do rio. Além disso, fizeram propostas para melhorar o manejo da pesca, como a realização de acordos de pesca, com a definição de locais, espécies e épocas apropriadas para a atividade. Querem também que seja intensificada a fiscalização, pois existe uma lei municipal que proíbe a pesca comercial em Silves. Segundo Sansolo, os ribeirinhos querem que esses acordos e a fiscalização sejam realizados pelas próprias comunidades, em parceria com a Aspac. Durante as reuniões, concordaram também em começar a discutir o turismo e a pesca esportiva na região. ?Eles ainda têm medo das conseqüências dessas atividades, mas entendem que pode ser uma coisa interessante?, disse.A visita da Caravana à comunidade São João foi prejudicada por acontecer no dia de Nossa Senhora Conceição, a principal festa de Silves. Por conta disso, houve apenas uma conversa informal com alguns moradores. O destino do lixo está também no centro das preocupações da comunidade.As próximas visitas da Caravana serão nas comunidades de Santa Luzia do Sanabani (dia 20/12), Nossa Senhora da Conceição da Baixa Funda (dia 21) e São José Pampolha (dia 22).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.