Desvendado genoma da soja; modificar planta ficará mais fácil

Segundo um dos autores do trabalho, será possível desenvolver variedades resistentes a pragas e doenças

Eric Akita, estadao.com.br,

13 Janeiro 2010 | 16h01

Um grupo de cientistas norte-americanos e japoneses anunciou o sequenciamento completo do genoma da soja. O estudo, que será publicado nesta quinta-feira, 14, na revista Nature, deverá desencadear diversos avanços na manipulação genética da planta.

 

Liberada a venda do 1º transgênico brasileiro

Metade do milho brasileiro pode ser transgênico em 2010

USDA eleva em 2 mi t a safra 2009/2010 de soja do Brasil

 

A soja, uma das mais importantes fontes de proteína e óleo na agricultura global, se torna a primeira espécie de leguminosa a ter seu genoma sequenciado por completo.

 

O sequenciamento prevê a existência de 46.430 genes codificadores de proteínas, e permitirá o aperfeiçoamento da produção e o desenvolvimento de variedades mais resistentes a doenças e pragas, dizem pesquisadores. Segundo os cientistas, será possível acrescentar características associadas aos aspectos nutricionais, como fazer com que a soja seja melhor digerida pelo homem e pelos animais.

O sequenciamento também possibilitará aos cientistas uma melhor compreensão da capacidade da planta em transformar o dióxido de carbono (CO2), água, luz solar, nitrogênio e minerais em energia, proteínas e nutrientes para consumo do homem e animais.

O trabalho também deverá se tornar referência para a pesquisa genética em outras 20 mil variedades de leguminosas.

 

"Vamos conhecer melhor as condições de integração e quais aspectos podem afetar as outras espécies, tais como o rendimento", explica o pesquisador norte-americano Scott Jackson, um dos coordenadores do projeto de sequenciamento do genoma da soja, em entrevista por e-mail ao estadao.com.br.

Segundo Jackson, que comanda o Departamento de Agronomia da Universidade Purdue (Indiana), o meio ambiente será outro beneficiado. "Será possível desenvolver uma soja mais resistente às doenças, o que reduzirá o uso de produtos agroquímicos e, consequentemente, a agressão ao solo."

Impacto no Brasil

O anúncio do sequenciamento completo do genoma da soja deverá ter um impacto no Brasil, o segundo maior produtor dessa leguminosa no mundo.

 

"Poderemos expandir ainda mais a manipulação genética da soja com outras características que possam agregar valor à cultura. Fato que tem implicação direta na competitividade dessa importante commodity", afirma o geneticista e engenheiro agrônomo Elíbio Rech, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Para o pesquisador brasileiro, a possibilidade de otimizar a produção da soja será um dos principais benefícios que o sequenciamento trará. "O aumento da população nos próximos 30 anos deverá demandar uma duplicação na produção de alimentos. Fato que somente poderá ser alcançado com o uso da genética molecular avançada que inclui o conhecimento sobre os genomas", afirma Rech. "São aspectos que vão ao encontro de temas relevantes para nosso sociedade como segurança alimentar, disponibilidade de água, energia e aquecimento global", completa.

Segundo estimativas da consultoria Céleres, a porção de soja transgênica na produção brasileira deve aumentar de 65% na safra passada para 71% na safra 2009-2010. A soja transgênica é plantada legalmente no País desde 2003 e sua manipulação genética tem sido monitorada.

 

"Os processos de cruzamento e transgenia efetuados na soja têm produzido linhagens seguras", diz Rech.

Mais conteúdo sobre:
soja genoma trangênico nature

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.