Desvendados genes do causador da pneumonia asiática

Um grupo de cientistas do centro Michel Smith de Ciências Genéticas do Canadá anunciou que foi decifrado o código genético do coronavírus, que deve ser o responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sras). O conhecimento do código genético do vírus tornará mais rápido o diagnóstico da doença.A Sras, também chamada de pneumonia asiática, ou atípica, já causou a morte de 114 pessoas no mundo. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 3.349 pessoas foram infectadas com o vírus. A China, local onde a doença surgiu e se propagou, registra o maior número de casos: 2.608. Desses, 1.190 registros são de Hong Kong.Na Alemanha, uma empresa de biotecnologia iniciou a distribuição de um exame que detecta a doença misteriosa em apenas duas horas. A empresa Arturs GbmH, com sede em Hamburgo, diz que o teste tornará o diagnóstico mais rápido, facilitando o isolamento das pessoas doentes e diminuindo o risco de novas contaminações. A maioria dos laboratórios só consegue diagnosticar a pneumonia atípica entre duas e três semanas.Hoje, o Ministério da Saúde da Inglaterra confirmou o primeiro caso de pneumonia atípica da Europa em uma pessoa que não viajou para a área de risco da doença. O homem de negócios está internado em um hospital de Londres. No entanto, as autoridades ainda não sabem como ele foi infectado.Por causa da propagação da doença, as autoridades sanitárias australianas proibiram a doação de sangue de pessoas que viajaram recentemente ao Sudeste Asiático. Segundo o diretor do Departamento Médico do governo, Richard Smallwood, as pessoas que visitaram a China, Hong Kong, Cingapura, Vietnã e Toronto, no Canadá, não poderão doar sangue, pelo menos durante os primeiros 14 dias após seu regresso.As medidas restritivas vêm causando polêmica no mundo. A Associação de Linhas Aéreas da Ásia e do Pacífico criticou as medidas impostas por alguns países para conter a disseminação da pneumonia atípica, considerando-as arbitrárias. Segundo a organização, decisões como a de negar visto a cidadãos da região afetada não contribui para impedir a propagação do vírus, mas para prejudicar as companhias aéreas.O governo da Malásia, por exemplo, proibiu a entrada de cidadãos de Hong Kong, Vietnã, Canadá e Taiwan em seu território, com exceção às visitas oficiais ou de negócios.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

Agencia Estado,

14 de abril de 2003 | 19h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.