Detalhes diferenciam o homem do chimpanzé

A primeira comparação detalhada entre o cromossomo de um chimpanzé e seu correspondente em seres humanos mostra quão pequenas e complexas são as diferenças entre o homem e o macaco. Sabe-se que as duas espécies são 98,5% idênticas geneticamente, mas até agora não era possível precisar onde estão as diferenças e como elas puderam tornar um animal tão mais evoluído do que o outro.Cientistas de um consórcio internacional completaram o seqüenciamento do cromossomo 22 do chimpanzé e compararam, letra por letra, com o cromossomo 21 humano (seu equivalente). Descobriram que apenas 1,44% dos genomas difere em uma única base A, T, C ou G. Além disso, detectaram 68 mil seqüências inseridas ou deletadas entre uma espécie e outra."Essas diferenças são suficientes para produzir mudanças na maioria das proteínas", escrevem os pesquisadores, cujo trabalho está publicado na revista Nature.Proteínas diferentesA seqüência dos genes contém as instruções para a codificação de proteínas, que regulamentam o funcionamento do organismo. Modificações nessas seqüências, portanto, produzem proteínas diferentes.O objetivo dos pesquisadores é descobrir as alterações genéticas e proteômicas que diferenciaram as duas espécies e que conferiram ao homem a capacidade de raciocinar, andar em duas pernas e desenvolver linguagens complexas."As mudanças genômicas após a especiação e suas conseqüências biológicas parecem ser mais complexas do que originalmente proposto", dizem os cientistas. O trabalho foi coordenado por Asao Fujiyama, do Riken Genomics Science Center, no Japão.Cromossomos seqüenciadosNa mesma edição da Nature, pesquisadores apresentam o seqüenciamento de outros dois cromossomos humanos: 9 e 10. Ambos têm genes ligados ao câncer, esquizofrenia e doenças degenerativas. Com isso, já são 11 os cromossomos humanos totalmente seqüenciados.Os trabalhos são importantes para o estudo da base genética de doenças. Apesar do genoma humano já ter sido totalmente seqüenciado, o detalhamento individual dos cromossomos preenche uma série de lacunas e facilita a identificação de genes específicos.

Agencia Estado,

27 de maio de 2004 | 11h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.