NASA
NASA

Detritos do Cometa Halley provocam chuva de meteoros nesta madrugada no Brasil; saiba como ver

Fenômeno poderá ser observado em todo o País; Sociedade Americana de Meteoros fará transmissão ao vivo

Carla Menezes, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2020 | 14h45

A chuva de meteoros Orionids vai atingir seu ápice na madrugada desta quarta-feira, 21, e poderá ser vista em todo o Brasil a partir das 3h30 da manhã. Este fenômeno, registrado anualmente, é resultado da entrada de detritos do Cometa Halley na atmosfera terrestre.  Nesta madrugada, a chuva deve provocar a incidência de 20 a 25 cometas por hora. 

Mais conhecidos como “estrelas cadentes”, os meteoros podem ser observados a olho nu de qualquer lugar do País. No caso da Orionids, para visualizá-los, os olhares devem se voltar para as estrelas Três Marias. “Como diz o nome, nas Orionídeas os meteoros parecem estar vindo da direção da constelação de Órion, uma das mais conhecidas do céu e que é visível do País todo”, diz o professor Roberto Costa, do Departamento de Astronomia do IAG/USP. Ele ressalta que a visibilidade depende das condições meteorológicas de cada região.

O fenômeno acontece desde o dia 2 de outubro, atinge o pico nesta quarta-feira, quando a Lua estará 23% cheia, e deve acabar em 7 de novembro. “O interessante é estar longe das luzes da cidade, distante da poluição luminosa”, indica Marcelo De Cicco, doutorando no Observatório Nacional e coordenador da rede EXOSS de monitoramento de meteoros. O pesquisador explica que esse fenômeno acontece quando os meteoroides, restos deixados por passagens anteriores de cometas, penetram na atmosfera e produzem um fenômeno luminoso. 

Segundo ele, a Orionids já registrou intensa atividade na madrugada desta terça-feira, 20, e mesmo após o pico, ainda deve ser possível observar meteoros na quinta-feira, 22. As dicas da NASA para melhor visualização dos meteoros incluem olhar para o céu por cerca de 30 minutos para adaptar os olhos e “ter paciência”. Binóculos e telescópios podem atrapalhar a visão. 

A Sociedade Americana de Meteoros, que mantém um calendário da ocorrência desses fenômenos, diz que em anos “excepcionais”, como de 2006 a 2009, a Orionids (ou Oriônidas) chegou a registrar de 50 a 75 meteoros por hora. Para quem não conseguir visualizar a Orionids, a organização fará uma transmissão da chuva de meteoros no YouTube. 

 

Chuva de “meteoros de Halloween”

De acordo com Marcelo De Cicco, é possível que os brasileiros tenham a chance de observar outra chuva de meteoros nesta terça-feira, 20, apelidada de “chuva de Halloween”, por volta das 19h. 

“Os cálculos do astrofísico Jeremie Vaubaillon, do Observatório de Paris, mostram que a Terra pode atravessar uma nuvem de detritos deixada pelo objeto NEO 2015 TB14, que teve imagem registrada por radar e teve seu formato comparado ao da cabeça de uma caveira”, diz o pesquisador. Ele alerta que não é comum a atividade de meteoros nesta hora e que a melhor região para observar este fenômeno fica no continente africano: “mas não custa nada parar um momento nesse horário e olhar para o leste. Talvez possamos ter sorte”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.