Nature
Nature

Dinossauro do Chile reúne características de lagartos pré-históricos

Fósseis foram encontrados na Patagônia graças a um menino de 7 anos, filho de geólogos que estudavam a formação dos Andes

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

27 Abril 2015 | 13h00

SÃO PAULO - Descoberto no Chile em 2008 graças a um menino de 7 anos de idade, um novo dinossauro foi identificado por cientistas como o primeiro terópode vegetariano no continente. Os terópodes - grupo que inclui o Tiranossauro e o Velociraptor - eram os principais predadores na maior parte dos ecossistemas durante a Era Mesozoica, entre 66 milhões e 252 milhões de anos atrás. O estudo que descreve o animal foi publicado nesta segunda-feira, 27.

O novo animal foi apelidado pelos paleontólogos de "dinossauro ornitorrinco", graças à sua combinação extremamente bizarra de características de diversos tipos de répteis pré-históricos, que incluem um crânio proporcionalmente pequeno, braços curtos e pés parecidos com os dos primitivos dinossauros de pescoço longo.

O animal, cujo nome científico é Chilesaurus diegosuarezi, tinha cerca de três metros de comprimento e viveu há cerca de 150 milhões de anos. O nome faz referência ao país onde ele foi descoberto e a Diego Suárez, o menino que encontrou os primeiros fósseis de dinossauros na Formação de El Toqui, em Aysén, no sul da Patagônia chilena.

Diego estava na região com seus pais, os geólogos chilenos Manuel Suárez e Rita de la Cruz, que estavam estudando rochas, a fim de entender melhor a formação da Cordilheira dos Andes. Diego tropeçou nos fósseis enquanto brincava de procurar pedras com sua irmã, Macarena.

Por causa da inusitada combinação de características do Chilesaurus, inicialmente os cientistas pensaram que Diego havia descoberto diversas espécies. No entanto, desde a descoberta do garoto, mais de uma dúzia de espécimes do Chilesaurus foram desenterrados, incluindo quatro esqueletos completos - algo inédito para o período Jurássico no Chile.

Logo os pesquisadores demonstraram que se tratava de uma só espécie que combinava uma variedade de traços anatômicos. Os fósseis foram estudados por paleontólogos chilenos e argentinos de diversas instituições, em conjunto com os pais de Diego.

De acordo com o estudo, o Chilesaurus tinha inúmeras características que estão presentes em vários grupos diferentes de dinossauros. Eles têm membros dianteiros robustos semelhantes aos dos terópodes do período Jurássico, como o Alossauro, mas suas mãos tinham dois dedos grossos, ao contrário de terópodes como o Velociraptor, que tinha unhas afiadas. Sua cintura pélvica parece a dos dinossauros ornitísquios - que era semelhante à das aves -, mas ele é classificado em outra divisão de dinossauros completamente diferente: os saurísquios.

Segundo os cientistas, as diferentes partes do corpo do Chilesaurus eram adaptadas a uma dieta e a um comportamento específicos, que eram semelhantes a de outros grupos de dinossauros. Como resultado desses hábitos parecidos, diferentes regiões do corpo do Chilesaurus evoluíram de forma similar a de grupos de dinossauros sem nenhuma relação com ele - um fenômeno conhecido como convergência evolutiva.

Para os autores, o Chilesaurus representa um dos casos mais extremos de um mosaico de convergência evolutiva já registrados na história dos seres vivos. Seus dentes eram parecidos aos dos primitivos dinossauros de pescoço longo, segundo os pesquisadores, graças a um processo seletivo que resultou de uma dieta semelhante à dessas linhagens antigas, ao longo de milhões de anos.

"O Chilesaurus pode ser considerado um 'dinossauro-ornitorrinco', porque diferentes partes do seu corpo parecem com as de outros grupos. Eles são um bom exemplo de como a evolução trabalha em grandes períodos e esse é um dos mais interessantes casos de mosaico de convergência evolutiva já documentados", afirmou um dos autores do estudo, Martín Ezcurra, da Universidade de Birminghan, no Reino Unido.

Segundo Ezcurra, o novo estudo vai forçar os paleontólogos a tomar mais cuidado na futura identificação de ossos fragmentários ou isolados de dinossauros. "Casos de convergência evolutiva como esse podem levantar evidências falsas", afirmou.

"O Chilesaurus é o primeiro dinossauro completo do período Jurássico já encontrado no Chile e representa um dos mais completos terópodes já registrados no Hemisfério Sul", disse o autor principal do artigo, Fernando Novas, do Museu de Ciências Naturais Bernardino Rivadavia, em Buenos Aires, na Argentina. "Embora terópodes que se alimentavam de plantas já tenham sido registrados na América do Norte e na Ásia, esse é o primeiro terópode com essas características a ser encontrado no continente." 

Mais conteúdo sobre:
Dinossauro Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.