Ashley Landis/The Dallas Morning News, via Associated Press
Ashley Landis/The Dallas Morning News, via Associated Press
Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Dinossauros foram extintos na primavera

Cientistas descobriram detalhes sobre evento de milhões de anos atrás

Fernando Reinach*, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2022 | 05h00

Não temos dúvidas de que os dinossauros foram extintos quando um grande meteoro se chocou com a Terra. A colisão, que ocorreu onde fica a península de Yucatan, no México, provocou um enorme tsunami ao redor do planeta. Animais e plantas morreram instantaneamente ou foram vítimas da enorme nuvem de detritos que se espalhou pela atmosfera impedindo a entrada da luz solar. Com isso a cadeia alimentar colapsou, e 76% das espécies que habitavam o planeta, inclusive os dinossauros, sumiram.

Sabemos que essa colisão ocorreu há aproximadamente 66 milhões de anos e marcou o final da era Mesozoica. Não sabemos a data exata da colisão pois existe um erro razoável na estimativa. O que me deixou impressionado é que cientistas descobriram que era primavera no hemisfério Norte, quando o asteroide bateu.

No Estado de Dakota do Norte (EUA) foi descoberto um grande acúmulo de fósseis chamado de formação Tanis. É um exemplo de locais em que todos os seres vivos morreram imediatamente. Isso pode ocorrer em caso de fenômeno violento. Um exemplo é o soterramento de Pompeia pelas cinzas do vulcão Vesúvio no ano 79 DC. 

Em Tanis, todos os seres morreram atingidos por uma espécie de tsunami violento que levantou e soterrou todos os seres da região. O fenômeno foi tão forte que foram encontrados peixes enrolados em árvores e animais aquáticos empilhados com animais terrestres e árvores. Como o tsunami que atingiu Tanis ocorreu 66 milhões de anos atrás, os cientistas acreditam que foi causado pelo impacto do asteroide. Entre os animais fossilizados foi descoberto um grande número de peixes, e algumas dessas espécies crescem com velocidade diferente conforme as estações do ano. No outono e no inverno, quando falta alimento, eles crescem devagar; mas, na primavera, com mais alimento disponível, a velocidade de crescimento aumenta. Nos ossos desses peixes, o crescimento forma camadas fáceis de identificar nos ossos fossilizados.

Analisando essas marcas em ossos, os cientistas concluíram que todo peixe encontrado na formação de Tanis morreu quando seus ossos cresciam rapidamente, na primavera. E, se eles foram vítimas do tsunami causado pela queda do meteoro, é possível concluir que esse evento ocorreu na primavera, em algum momento há 66 milhões de anos. 

MAIS INFORMAÇÕES: THE MESOZOIC TERMINATED IN BOREAL SPRING. NATURE HTTPS://DOI.ORG/10.1038/S41586-022-04446-1 2022.

* É BIÓLOGO, PHD EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR PELA CORNELL UNIVERSITY E AUTOR DE A CHEGADA DO NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL; FOLHA DE LÓTUS, ESCORREGADOR DE MOSQUITO; E A LONGA MARCHA DOS GRILOS CANIBAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.