Diocese católica nos EUA pede proteção contra falência

Mais de 20 moradores de Delaware apresentaram ações contra o ex-padre Francis DeLuca

Associated Press,

19 Outubro 2009 | 18h10

Um caso de abuso sexual contra a diocese católica de  Wilmington e um ex-padre será adiado depois que as autoridades eclesiásticas pediram proteção contra falência, na véspera do julgamento.

 

Justiça de Minas condena ex-padre por pedofilia

Padre é condenado a 12 anos por estuprar e abusar de menina

Padre argentino é condenado a 15 anos de prisão por abuso sexual

Papa ordena investigação de congregação religiosa após escândalo

 

O pedido, apresentado no domingo, adia o encaminhamento do processo judicial, que deveria ter início nesta segunda-feira, 19, no Tribunal Superior do Condado de Kent.

 

"Esta foi uma decisão dolorosa, uma que rezei para não ter de tomar", disse o bispo da diocese, W. Francis Malooly, em nota publicada no website oficial da congregação.

 

Wilmington é a sétima diocese católica dos Estados Unidos a buscar proteção contra falência desde que os escândalos de abusos sexuais cometidos por padres irromperam há sete anos, na arquidiocese de Boston.

 

A diocese de Wilmington cobre todo o Estado de Delaware e o litoral leste de Maryland, e atende a cerca de 230 mil católicos.

 

Thomas Neuberger, um advogado que representa 88 supostas vítimas, descreveu o pedido contra falência de "um esforço desesperado para esconder a verdade do público e encobrir milhares de páginas de documentos escandalosos" que viriam a público no julgamento.

 

O bispo Malooly disse que a decisão foi tomada "após cuidadosa consideração e consultas com meus conselheiros mais próximos", e que ele acredita "não ter escolha".

 

O julgamento desta segunda-feira teria sido o primeiro a ocorrer sob uma nova lei de Delaware que criou uma "janela para o passado" de dois anos, permitindo que pessoas que alegam ter sido vítimas de abuso sexual apresentem suas queixas, independentemente de o prazo de prescrição do crime já ter se esgotado.

 

Mais de 20 moradores de Delaware apresentaram ações contra o ex-padre Francis DeLuca. Ele atuou no sacerdócio por 35 anos, mas foi excluído depois de ser preso, em 2007, por abusar seguidas vezes do sobrinho-neto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.