Dispositivo na língua pode ajudar comando de paraplégicos

Imã poderia controlar o mouse do computador ou a cadeira de rodas.

Da BBC Brasil, BBC

30 de junho de 2008 | 10h21

Um grupo de cientistas do Georgia Institute of Technology, nos Estados Unidos, apresentou um dispositivo que permite a deficientes físicos controlar uma cadeira de rodas ou operar o computador mexendo apenas a língua.Chamado de Tongue Drive (Impulso da Língua), o aparelho é um imã do tamanho de um grão de arroz que deve ser implantado da ponta da língua dos pacientes e "substituiria" o cursor do mouse de um computador ou o joystick que controla os movimentos das cadeiras de rodas elétricas. O movimento do dispositivo magnético é detectado por sensores - que podem ser acoplados a um capacete ou a um aparelho ortodôntico bucal - responsáveis por transmitir os sinais para um computador portátil que pode ser carregado na roupa ou na cadeira de rodas do usuário.Segundo o professor Maysam Ghovanloo, que desenvolveu o dispositivo ao lado do aluno Xueliang Huo, a língua foi escolhida porque não é controlada pelo cérebro por meio da medula espinhal - danificada nos paraplégicos. "Ao contrário dos pés e das mãos, que são controlados pelo cérebro através da medula espinhal, a língua é diretamente conectada ao cérebro por um nervo cranial que geralmente escapa dos danos causados em ferimentos na medula e das doenças neuromusculares", disse Ghovanloo. "Além disso, os movimentos da língua são rápidos, precisos e não requerem muita atenção, concentração ou esforço", explica. AvançoA equipe de pesquisadores realizou testes do aparelho com 18 pessoas saudáveis, que operaram o mouse do computador e uma cadeira de rodas elétrica apenas com o movimento da língua. No teste com os computadores, os participantes testaram seis comandos diferentes que substituiriam o clique e o movimento do mouse - esquerda, direita, para cima, para baixo, clique único e dois cliques. De acordo com os resultados, a resposta do computador para os comandos dados pela língua foram realizadas em menos de um segundo e os participantes tiveram quase 100% de precisão nos comandos. Um grupo de comandos especial pode também ser desenvolvido para adaptar-se às habilidades e necessidades dos pacientes."A pessoa pode potencialmente treinar nosso sistema para reconhecer o toque em dentes diferentes como comandos diferentes", explica o cientista.Os cientistas apresentaram o novo dispositivo durante um encontro da Sociedade Americana de Engenharia da Reabilitação e Tecnologia Assistiva, em Washington, nos Estados Unidos. A equipe ressaltou que, ao contrário de outros dispositivos, o novo aparelho é não-invasivo e seu implante não requer cirurgias complicadas no cérebro. O próximo passo será testar o dispositivo em pacientes com deficiências graves. "Esse dispositivo pode revolucionar o campo da tecnologia assistiva ao ajudar indivíduos que sofrem de deficiências sérias, como aqueles que sofreram danos graves na medula espinhal, a ter uma vida mais independente, ativa e produtiva", afirmou Ghovanloo.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.