Divulgadas primeiras fotos de lula gigante viva

Quando o tentáculo de quase seis metros foi puxado para dentro do navio de pesquisas, Tsunemi Kubodera soube que havia encontrado algo grande. Mas o melhor veio depois: centenas de fotos de uma rara lula gigante, viva em seu hábitat submarino. Assim, a equipe de Kubodera tornou-se a primeira a observar uma lula gigante viva e no ambiente natural. As imagens mostram o monstro marinho de nove metros atacando a isca baixada pelo navio a uma profundidade de quase um quilômetro, e em seguida lutando por mais de quatro horas para se libertar. A lula se agarrou com tanta força à corda que segurava a isca de camarão que amputou um dos próprios tentáculos. "Foi uma experiência e tanto sentir o tentáculo, ainda funcional, na minha mão", disse Kubodera, pesquisador do Museu Nacional de ciências do Japão. "Mas as fotos foram ainda melhores".As misteriosas lulas gigantes, cientificamente conhecidas como Architeuthis, são há séculos material de lendas, aparecendo em mitos gregos e atacando o submarino de Júlio Verne em 20.000 Léguas Submarinas. Mas elas só eram vistas quando se prendiam, em redes de pesca ou chegavam, moribundas, ao litoral. Nunca antes tinham sido localizadas vivas e no hábitat natural.Mas a equipe japonesa, coroando três anos de esforços, filmou a criatura em setembro do ano passado. O feito só foi divulgado nesta semana, com a publicação das fotos numa revista científica britânica.Por conta da raridade do animal, o feito japonês foi saudado em todo o mundo. "Isso é filmar um monstro marinho de verdade", disse Randy Kochevar, biólogo marinho do Aquário Baía de Monterey, na Califórnia. "Ninguém havia conseguido observar a uma grande lula gigante onde ela vive. Tinha gente que dizia que era impossível. É um feito incrível".

Agencia Estado,

28 de setembro de 2005 | 12h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.