Doença do cacau brasileiro ameaça produção mundial

A produção mundial de cacau pode cair consideravelmente se doenças que atacam plantações na América do Sul se espalharem por outras regiões produtoras do fruto, segundo cientistas britânicos.Milhares de pessoas perderam o emprego na Bahia quando as plantações de cacau foram infectadas pela vassoura-de-bruxa, doença que provoca o apodrecimento das folhas e dos frutos dos cacaueiros.A doença está sendo controlada no Brasil e novos postos de trabalho voltaram a ser abertos na Bahia desde 2003. Mas pesquisadores britânicos, em artigo publicado na revista Biologist, dizem que, se a doença atingir plantações de cacau na África, os efeitos podem ser devastadores.Brasil"Na Bahia, a destruição causada pela vassoura-de-bruxa foi terrível", disse Gareth Griffith, professor da Universidade do País de Gales e co-autor do artigo. "A estimativa é que 200 mil pessoas perderam seus empregos e que mais de 2 milhões foram indiretamente afetados."A vassoura-de-bruxa é um fungo que ataca as folhas e os frutos do cacaueiro. Segundo Griffith, a doença foi identificada no começo do século 20 e, provavelmente, evoluiu na floresta amazônica.O pesquisador acredita que a doença se espalhou regionalmente em um primeiro momento, até que as plantações de cacau se revelaram como um local propício para a propagação do fungo. Griffith também acredita que as viagens de plantadores de uma região para outra provavelmente ajudaram a doença a se espalhar."As pessoas pegam sementes que acreditam ser saudáveis e levam para plantar em outras regiões. Mas isso pode levar a doença a essas áreas", diz Griffith. "Foi assim que a vassoura-de-bruxa chegou ao Equador e provavelmente à Bahia."BatalhaDe acordo com Griffith, quando a vassoura-de-bruxa ataca uma plantação, a safra pode cair até 90%. E, apesar de um século de pesquisas, ninguém ainda apresentou uma estratégia efetiva de controle.Recentes planos de combate incluem o desenvolvimento de uma linhagem resistente da planta de cacau."Na Bahia, eles estão empenhados em criar uma linhagem resistente porque as plantações foram realmente afetadas na região", disse o pesquisador britânico Bob Eagle. "Então eles testam plantas que conseguem crescer apesar da doença, para observar se existe alguma resistência natural que possa ser analisada."A América do Sul produz 10% do cacau do mundo. A maior produtora é a África, responsável por mais da metade da produção do fruto.Griffith diz que a chegada da vassoura-de-bruxa ao Oeste africano pode ser catastrófica. "No oeste da África há milhares de famílias que dependem do cacau. A doença poderia devastar o sustento dessas famílias."Mas o diretor-geral da Associação de Biscoitos, Bolos, Chocolates e Doces, Mike Webber, diz que a situação é improvável. "Nós estaríamos preocupados se a gente acreditasse que há um risco sério de a vassoura-de-bruxa chegar ao oeste africano. Mas o sistema de quarentena é rígido para qualquer planta que circule de uma região a outra.""As plantas ficam em quarentena por meses e só são transportadas quando atestado que são saudáveis", disse ele.Mas, segundo Griffith, as chances existem, e alguma atitude precisa ser tomada antes que seja tarde.

Agencia Estado,

25 de junho de 2004 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.