Dois são presos por 'alugar' lugares para orações em Meca

A Grande Mesquita fica superlotada durante o Ramadã; espaço chega a custar US$ 300

BBC

14 Setembro 2009 | 15h37

Duas pessoas foram presas na Arábia Saudita por cobrar para reservar espaço para oração na Grande Mesquita de Meca, de acordo com a imprensa saudita.

 

Segundo o jornal Saudi Gazette, os dois homens foram detidos em meio a um esforço das autoridades religiosas para acabar com o comércio de espaços para oração na mesquita, que se torna muito lotada durante o Ramadã, o mês sagrado muçulmano.

 

A mídia saudita disse que são principalmente os expatriados que chegam cedo para reservar os melhores lugares e "alugam" o espaço aos sauditas pouco antes do início das orações. O "aluguel" do espaço vai de US$ 100 (R$181) a US$ 300 (R$544), segundo o jornal.

 

"A prática diminuiu muito este ano", disse Yusuf Al-Wabil, do escritório de supervisão das mesquitas, de acordo com o Saudi Gazette. "Mas nós não vamos ser clementes com ninguém", afirmou.

 

As autoridades religiosas proibiram na semana passada a prática de reservar lugares na Grande Mesquita de Meca e na Mesquita do Profeta em Medina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.