AP
AP

É preciso conservar água para evitar escassez, diz especialista

As respostas dependem do aumento da produtividade das lavouras e do uso mais cuidadoso da água

GERARD WYNN, REUTERS

14 Agosto 2009 | 13h19

O mundo só poderá alimentar a população adicional de 2,3 bilhões de pessoas até 2050 por meio da conservação da água e do aumento da produtividade no campo, disse nesta sexta-feira, 14, o diretor do Instituto Internacional de Gerenciamento de Água, Colin Chartres. A entidade tem sua sede no Sri Lanka.

 

   linkReserva de água do norte Índia está se esgotando, diz estudo

   linkPopulação mundial chegará a 7 bi em 2011; África tem 1 bilhão

  linkPaís tem 191,5 milhões de habitantes e 21,6% estão em SP

O desafio para abastecer populações maiores, com estilo ocidental de alimentação e cada vez mais demanda por biocombustíveis, se mistura à ameaça aos suprimentos de água para irrigação por causa das mudanças climáticas e da competição das cidades pelo produto, disse Colin Chartres.

As respostas dependem do aumento da produtividade das lavouras e do uso mais cuidadoso da água em países vulneráveis, especialmente os gigantes em desenvolvimento na Ásia, a China e a Índia.

"Se você olhar as tendências atuais, verá que precisaremos de muito mais água, e nós não temos," disse Chartres à Reuters, em Londres, antes do lançamento de um relatório do instituto sobre revitalização da irrigação na Ásia, durante a Semana Mundial da Água, na semana que vem, em Estocolmo.

"Em 2050, será preciso cerca do dobro da quantidade de alimento e forragens e do dobro de água que temos agora. Muitos países usam de 70% a 90% de sua água na agricultura. Minha hipótese é que esse porcentual se reduzirá para 60% a 70% por causa da competição para outros usos, tais como a urbanização."

"Até 2030 a demanda vai exceder o fornecimento de água na Índia em torno de 20% a 40%. No momento a demanda é um pouco menor do que o suprimento," disse ele.

As chuvas do período das monções na Índia ficaram 56% do normal na semana passada, segundo dados divulgados pelo governo na quinta-feira, fato que indica um cenário cada vez mais sombrio para o setor agrícola e alimenta especulações sobre uma grande seca.

Desde o início da temporada das monções, em 1 de junho, as chuvas estão 29% abaixo do normal, o pior índice pelo menos nos últimos cinco anos.

Soluções de longo prazo para o aumento da demanda por alimentos e água incluem melhor conservação da água, por exemplo, por meio da reparação de canais de irrigação envelhecidos e com vazamentos, em vez de gastos com projetos caros de infraestrutura, comentou Chartres.

"A Índia está pensando em realizar grandes programas de transferência de água dos rios. Nós achamos que há uma porção de coisas que se pode fazer para aumentar a produtividade antes de optar por esses grandes e caros esquemas."

A crescente adesão a dietas alimentares no estilo ocidental está inflando a demanda por água. Chartres citou uma estimativa de que uma dieta vegetariana requer cerca de 2.000 litros de água por dia em comparação com 5.000 litros de uma dieta baseada em carne.

(Reportagem de Gerard Wynn)

Mais conteúdo sobre:
CIENCIA GUA ESCASSEZ DEMANDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.