Eclipse lunar será visível em todo o Brasil

Nas localidades brasileiras em que o céu estiver limpo e sem nuvens, na madrugada desta quinta para sexta-feira, será possível observar um eclipse total da Lua, cujo máximo deverá durar cerca de uma hora. O evento é resultado da projeção da sombra da Terra, que se interpõe entre o Sol e a Lua, que está na fase cheia. Enquanto a sombra terrestre se desloca, projetada sobre a superfície lunar, é possível enxergar com muita clareza crateras, mares, montanhas e outras formações de relevo. Com muita sorte, existe até a chance de se registrar a queda de algum meteoro. A observação pode ser feita a olho nu, com binóculos ou telescópios, de qualquer tamanho.Atualmente, com os recursos tecnológicos disponíveis, os eclipses lunares praticamente não são usados em estudos astronômicos, mas continuam sendo um espetáculo. Este evento tem início às 22:08 horas da quinta feira, com a fase chamada penumbra, em que a Terra bloqueia parte dos raios solares. A Lua fica um pouco mais escura, mas isso quase não é perceptível. A partir das 23:06, ocorre a fase chamada umbra, em que a Terra realmente bloqueia os raios solares e a Lua perde o brilho. Em seguida, às 0:14 horas, já na sexta feira, tem início o máximo do eclipse, quando a sombra da Terra se projeta sobre a superfície lunar. O auge ocorre às 0:40 e o final do eclipse, como popularmente conhecido, às 1:06, sendo que a Lua volta a sair da umbra às 2:17 e da penumbra só às 3:15.Durante o máximo do eclipse, a Lua se apresenta escura, em tons entre o ocre e o avermelhado. As variações de tom dependem da maior ou menor quantidade de partículas resultantes de erupções vulcânicas, presentes na alta atmosfera terrestre, segundo informa o astrônomo Júlio César Penereiro, do Observatório de Capricórnio, localizado no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas. ?Quanto maior a atividade vulcânica recente, mais avermelhada parece a Lua?, comenta. Se, além de partículas, houver cinzas, de erupções bem recentes, o eclipse se torna bem escuro.De acordo com informações da agência espacial norte americana (Nasa), nos últimos seis meses, a atmosfera terrestre acumulou emissões de diversos vulcões, como o Etna (Itália), Fuego (Guatemala), Colima (México), Chykurachkie (Ilhas Kurile), Tungurahua (Equador) e, nos últimos dias, o Ulawun (Papua Nova Guiné) e o Kliuchevskoi (Rússia), mas sem grandes quantidades de cinzas. O eclipse lunar, portanto, promete ser bem avermelhado, adquirindo até alguns tons de violeta, se visto de regiões onde o ar é mais poluído.Serviço:O Observatório Municipal de Campinas Jean Nicolini ou Observatório de Capricórnio abrirá ao público para observação do eclipseLocalização: Alto da Serra das Cabras, com acesso através do Distrito de Joaquim Egídio, em Campinas, SP. Saindo do centro de Campinas pela Av. Moraes Sales, seguir sempre em frente em direção ao Distrito de Sousas, continuando até Joaquim Egídio, sempre pela estrada principal. São 12 km de asfalto. No início da estrada de terra, pegar à direita e seguir mais 5 km. Há placas indicativas. Telefone: (19) 3298 6566.Horário especial para o eclipse: os portões estarão abertos das 21:00 às 23:00 horas, na noite da quinta feira, dia 15. Às 23:00 horas serão fechados para início da observação do eclipse, que se estenderá até as 2:00 horas da sexta feira, dia 16. Lunar Eclipse for Beginners: http://www.mreclipse.com/Special/LEprimer.html/ Toda a América Latina e o lado leste dos Estados Unidos poderão assistir integralmente ao eclipse.

Agencia Estado,

14 de maio de 2003 | 15h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.