Eclipse revelou grave poluição do ar, diz pesquisador

O eclipse lunar da noite passada deixou especialistas alarmados com a qualidade do ar no planeta. "Foi um dos eclipses mais escuros dos últimos tempos", disse o foto-astrônomo Arturo Gómez, do Observatório Cerro Tololo, no norte de Chile, que produziu imagens de alta resolução do fenômeno.Segundo Gómez, a poluição na atmosfera reduz a quantidade de luz que tangencia a Terra, adensando a sobra sobre a Lua. "Quando há menos contaminação do ar, os eclipses são mais transparentes, mais claros e rosados", explicou o pesquisador, que trabalha numa das regiões do planeta que têm o céu mais límpido.Gómez lembrou que um eclipse tão escuro assim ocorreu em 1992, depois da erupção do vulcão Pinatubo, nas Filipinas, que jogou milhões de toneladas de cinzas e gases na atmosfera terrestre.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2004 | 16h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.