Carlos Barria/REUTERS
Carlos Barria/REUTERS

Eclipse solar total de sábado vai ser visível só na Antártida; Nasa fará live

Parcialmente, o espetáculo astronômico pode ser visto em algumas partes do Hemisfério Sul

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2021 | 08h52

A madrugada do sábado, 4, vai ser marcada por um eclipse solar total. Parcialmente, o espetáculo astronômico ficará visível em algumas partes do Hemisfério Sul - o Brasil não está entre elas. O momento em que o fenômeno atingir totalidade será um show particular para os poucos cientistas que habitam algumas áreas da Antártida. Uma transmissão ao vivo da Nasa, agência espacial americana, está programada para que mais pessoas assistam ao alinhamento entre a Terra, o Sol e a Lua.

   

De acordo com dados do Observatório Astronômico Nacional da Espanha, o eclipse parcial será visível a partir das 2h39, horário de Brasília, em alguns lugares ao sul do Hemisfério Sul. Essa fase dura até as 7h37. Durante o período, conforme a Nasa, o fenômeno poderá ser contemplado por observadores de algumas áreas de Santa Helena, Namíbia, Lesoto, África do Sul, Geórgia do Sul, Ilhas Sandwich do Sul, Ilhas Crozet, Ilhas Malvinas, Chile, Nova Zelândia e Austrália.

A Nasa adverte que “nunca é seguro olhar diretamente para o Sol”, mesmo se a estrela estiver total ou parcialmente obscurecida. Ao observar um eclipse solar parcial, é preciso utilizar óculos de eclipse - óculos de sol comuns não são seguros.

A fase total do espetáculo começa às 4h, em um ponto do Oceano Atlântico localizado a leste das Ilhas Malvinas, e termina por volta das 5h, na Antártida. Nesse momento é possível ver a coroa do Sol (sua atmosfera externa), que normalmente fica obscurecida pelo lado brilhante da estrela. 

Mesmo que seja visível para poucos, se o tempo permitir, a Nasa vai promover uma transmissão ao vivo para que mais pessoas assistam ao eclipse. A live começa às 3h30, horário de Brasília, e vai até as 5h37. É possível acompanhar o vídeo no canal do Youtube ou no site da agência.  

Eclipse solar

Um eclipse solar ocorre quando a Lua está localizada entre o Sol e a Terra, lançando uma sombra no planeta, ao bloquear total ou parcialmente a luz da estrela, explica a Nasa. Para que um evento como o de amanhã ocorra, os três devem estar alinhados. 

Quando um eclipse total ocorre, explica a agência, os habitantes da área localizada no centro da sombra, verão um céu muito escuro, como se fosse amanhecer ou anoitecer. Esses observadores também podem ver a coroa solar.  

Segundo o Instituto Astrofísico de Canarias (IAC), os eclipses solares totais são interessantes para a comunidade científica, porque permitem realizar uma grande variedade de experiências e observações. Entre elas, o estudo da coroa do Sol e medições de altíssima precisão no diâmetro solar./ Com EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.