Ecologistas denunciam acordo nuclear Argentina-Austrália

Entidades ecológicas e de direitos humanos protestaram hoje diante do Congresso argentino, em Buenos Aires, contra a possível ratificação parlamentar de um convênio de cooperação nuclear com a Austrália, que, segundo os manifestantes, permitiria a entrada de lixo radioativo no país sul-americano.O projeto, conhecido como Tratado de Cooperação Nuclear com a Austrália, conta com um parecer favorável da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, mas ainda não foi aprovado pelo plenário.A manifestação foi convocada por vários grupos: Greenpeace, Anistia Internacional, Fundação Vida Silvestre, Coalizão Nacional Contra a Entrada de Lixo Nuclear, Confederação de Trabalhadores na Educação e assembléias de bairros, entre outros.Sábado passado, cerca de 100 militantes do Greenpeace foram detidos pela polícia, quando ocupavam as escadarias do Congresso Nacional.Segundo o Greenpeace, o acordo com a Austrália permitiria a entrada de lixo nuclear mediante uma modificação na Constituição argentina, que eliminaria qualquer impedimento legal à importação de resíduos radioativos. Em troca, a Austrália venderia à Argentina um reator nuclear.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2002 | 17h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.