Ecovias e Renctas têm campanha contra tráfico de animais

A Ecovias e a Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) estão lançando o Projeto Guardiões da Fauna, uma campanha de combate ao comércio ilegal de animais que será desenvolvidas nas estradas que fazem parte do Sistema Anchieta Imigrantes (SAI) e nas escolas que margeiam as rodovias.A campanha consiste na distribuição de 100 mil folhetos nos pedágios, além de 100 cópias de vídeos educativos e 2 mil cartazes para as escolas da região. Outro alvo da campanha são os caminhoneiros, que, muitas vezes sem ter a exata noção do problema, acabam colaborando com a ação dos criminosos."Eles são peças-chave nesse processo, já que, na grande maioria das vezes, são utilizados pelos traficantes para transportar os animaisaté os grandes centros e também para os portos, de onde são enviados para o exterior", explica a professora Waverli Neuberger, coordenadora do Núcleo e Agência Ambiental da Universidade Metodista, parceira na campanha.Segundo dados da Renctas, o tráfico de animais é o terceiro maior comércio ilegal do mundo, movimentando cerca de R$ 30 bilhões por ano (10% desse valor somente no Brasil), perdendo apenas para o tráfico de armas e de drogas.Cerca de 38 milhões de animais, de acordo com a ONG, são retirados das florestas brasileiras anualmente e só 10% deles chegam vivos ao seu destino.

Agencia Estado,

05 de abril de 2005 | 09h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.