Egípcio é detido por tentar vender múmia

O proprietário de um bazar do Cairo foi detido por tentar vender a múmia de uma rainha da época faraônica por US$ 10 milhões a um militar saudita, informou nesta terça-feira o jornal local Al-Masri Elyom.Adel Mohammed Ali al-Chaarani, de 25 anos, oficial da Força Aérea da Arábia Saudita, denunciou à Polícia egípcia que o comerciante tinha aceitado vender a antiguidade sem apresentar um contrato de venda devidamente autorizado.De acordo com as primeiras investigações, o acusado, de 79 anos, cuja identidade não foi revelada, possui um bazar na avenida que conduz às pirâmides de Gizé, uma das sete maravilhas do mundo.Segundo Chaarani, o comerciante o levou ao porão de sua loja para mostrar a múmia e eles acertaram o preço, mas o militar se comunicou por telefone com seu pai, que só aceitou comprar a relíquia se o preço fosse reduzido e se ele tivesse uma permissão para poder levar a múmia para fora do Egito através do aeroporto do Cairo.O jornal Al-Ahram, no entanto, garante que a múmia era falsa. Nos últimos anos, as autoridades do Egito - país onde se calcula que apenas 30% de suas riquezas arqueológicas foram desenterradas - detiveram dezenas de pessoas por ter roubado múmias e outras antiguidades de monumentos.

Agencia Estado,

27 de dezembro de 2005 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.