Khaled Desouki/AFP
Khaled Desouki/AFP

Egito anuncia a descoberta de centenas de sarcófagos e estátuas de bronze em Saqqara

Missão de arqueólogos faz escavações na área, próxima ao Cairo, desde 2018; trabalho da equipe possibilitou uma série de achados notáveis no sítio ao sul das pirâmides de Gizé

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2022 | 18h00

CAIRO - Arqueólogos que trabalham perto do Cairo descobriram centenas de antigos sarcófagos egípcios e estátuas de bronze de divindades. A descoberta em um cemitério na região de Saqqara continha estátuas dos deuses Anúbis, Amon, Min, Osíris, Ísis, Nefertem, Bastet e Hator, juntamente com uma estátua sem cabeça do arquiteto Imhotep, que construiu a pirâmide de Saqqara, informou o Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito.

Os 250 caixões, 150 estátuas de bronze e outros objetos datam de período cerca de 500 anos antes de Cristo., explicou o ministério. Eles eram acompanhados por um instrumento musical conhecido como sistro, que era feito de um arco atravessado por hastes metálicas soltas e que, quando agitadas, produziam um som de chocalho. Também foi identificada uma coleção de vasos de bronze usados ​​em rituais de adoração à deusa Ísis.

Os caixões de madeira pintados foram encontrados intactos em poços funerários e continham múmias, amuletos e caixas de madeira. Também foram encontradas estátuas de madeira de Néftis e Ísis de um período anterior, ambas com faces douradas.

Um caixão continha um papiro bem preservado escrito em hieróglifos, talvez versos do Livro dos Mortos, e foi enviado ao laboratório do Museu Egípcio no Cairo para estudo, revelou Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades.

Uma coleção de cosméticos foi encontrada, incluindo recipientes de kohl (tinta específica para maquiagem ao redor dos olhos), além de pulseiras e brincos. Os caixões serão transferidos para exibição no Grande Museu Egípcio, em construção perto das Grandes Pirâmides de Gizé e com inauguração prevista para o final deste ano.

"Inventos da construção em pedra talhada, Imhotep revolucionou a arquitetura do mundo Antigo. Encontrar a tumba dele era um dos principais objetivos desta missão arqueológica que já está há quatros anos explorando este local", festejou Waziri.

Saqqara, ao sul das pirâmides de Gizé, forneceu um fluxo constante de descobertas arqueológicas nos últimos anos. A missão está escavando na área desde 2018 e forneceu uma série de achados notáveis.

O sítio arqueológico de Saqqara, situado cerca de 15 quilômetros ao sul das famosas pirâmides do planalto de Gizé, faz parte da lista do patrimônio mundial da Unesco, braço para a Educação e Cultura das Nações Unidas, e é conhecido pela famosa Pirâmide Escalonada do faraó Djoser.

Em janeiro do ano passado, o Egito havia anunciado a descoberta de novos "tesouros" arqueológicos em Saqqara, entre eles 50 sarcófagos do Novo Império, de mais de 3 mil anos de idade.

Segundo as autoridades egípcias, as novas descobertas ajudarão a "reescrever a história" deste período. Para além disso, o país espera que a boa notícia ajude na retomada do turismo, bastante afetado durante a pandemia de covid-19. O setor, que emprega dois milhões de pessoas e é responsável por mais de 10% do PIB, vem sendo afetado desde a Primavera Árabe, série de protestos de rua iniciados em 2011. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Tudo o que sabemos sobre:
Egito [África]arqueologiapirâmide

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.