Reprodução/Nasa TV
Reprodução/Nasa TV

Em caminhada espacial, astronautas trocam câmera do Hubble

Substituição do equipamento é apenas a primeira parte da missão desta quinta-feira, que deve durar 6 horas

Associated Press,

14 de maio de 2009 | 13h30

A Nasa informa que a nova câmera planetária e de campo amplo - avaliara em US$ 132 milhões - foi instalada com sucesso no Telescópio Espacial Hubble. A instalação desse equipamento era a primeira, e mais complexa, tarefa da lista de atividades com que uma dupla de astronautas saiu do ônibus espacial Atlantis na manhã desta quinta-feira, 14.

 

Veja também:

mais imagens Galeria: As 10 melhores do Hubble

 

O trabalho de atualizar e reparar o Hubble é ainda mais perigoso que as operações normais no espaço por conta da região onde o Hubble orbita, onde existe uma grande quantidade de lixo espacial.

John Grunsfeld e Andrew Feustel emergiram do Atlantis e rapidamente iniciaram os trabalhos, por volta das 9h30 desta manhã. A caminhada desta quinta, a primeira de uma série de cinco, tem duração prevista em pouco mais seis horas.

 

O Atlantis e sua tripulação viajam numa órbita especialmente alta, de 560 quilômetros acima da Terra, repleta de pedaços de satélites destruídos. Um pedaço de lixo espacial de 10 centímetros passou voando a cerca de três quilômetros do ônibus espacial na noite de quarta-feira, poucas horas antes de o braço mecânico da nave agarra o Hubble. Mesmo um pedaço de metal tão pequeno poderia causar graves danos à nave.

 

 

Grunsfeld e Feustel trabalharam para remover uma câmera de 15 anos e substituí-la pelo modelo mais novo. Cada uma delas é do tamanho de um pequeno piano, e difícil de manejar. Outras tarefas desta quinta-feira são trocar a memória de um computador e instalar um anel de atracamento, para que, na próxima década,uma nave possa agarra o Hubble guiá-lo em sua queda no Oceano Pacífico.

 

A nova câmera de planetária e de campo amplo permitirá que astronautas olhem mais profundamente no Universo, alcançando até 500 milhões ou 600 milhões de anos após o Big Bang.

Tudo o que sabemos sobre:
atlantishubblenasaônibus espacial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.