Embriões híbridos de humano e animal são inúteis, diz estudo

Óvulos de animais não reprogramam DNA humano da maneira certa para gerar células-tronco, diz pesquisa

AP,

03 de fevereiro de 2009 | 19h42

Pode ser inútil tentar produzir células-tronco colocando DNA humano em vacas ou coelhos e fazendo embriões híbridos clonados, uma estratégia que causou controvérsia no Reino Unido, diz um novo estudo.  Veja também:Rainha permite pesquisa com embriões híbridos no Reino UnidoEspecial: Entenda o uso das células-tronco  Os óvulos de animais não reprogramam o DNA humano da maneira certa para gerar células-tronco, diz o relatório.  "Ao invés de acionar os genes certos, acontece que os óvulos animais os desligam", disse Robert Lanza, autor principal do estudo.  Outros cientistas contestam essa conclusão.  A ideia de usar embriões híbridos humanos e animais gerou polêmica no ano passado no Reino Unido, quando as autoridades ponderaram se deveriam permitir esse tipo de pesquisa. Os que eram contrários à pesquisa argumentavam que esse tipo de mistura genética poderia levar a bebês geneticamente modificados.  Embriões híbridos já foram feitos em outros lugares, mas não há prova incontestável de que se possa fazer células-tronco com eles. Eles são atraentes pois os óvulos humanos são mais difíceis de conseguir para pesquisa.  Para o novo trabalho, Lanza e seus colegas colocaram DNA humano em células de vaca, humanos e coelhos e as deixaram crescer até que se tornassem embriões. Nos embriões de células humanas, eles encontraram que o padrão de atividade genética se assemelhava àquela em embriões humanos normais. Mas nos híbridos, os padrões eram muito diferentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.