Empresa diz ter descoberto gene da obesidade

A empresa americana debiotecnologia Myriad Genetics anunciou hoje em Nova York adescoberta de mais uma mutação genética ligada à obesidade.Graças à estrutura do gene, batizado de HOB1, os cientistasacreditam que será mais fácil desenvolver um medicamento paracontrolar suas funções. Mas o tempo entre a descoberta de novasmutações genéticas e a venda do medicamento correspondente nasfarmácias costuma ser de cerca de sete anos. "É preciso muita pesquisa para compreendermos abiologia que relaciona a mutação genética com a obesidade",explicou William Hockett, porta-voz da Myriad. "Trata-se de umaetapa inicial que necessita de provas clínicas. A Myriad vaidesenvolver um medicamento, provar sua eficiência e associar-sea um grande laboratório farmacêutico." Segundo a equipe daMyriad, será necessária uma droga com moléculas pequenas. Outros genes relacionados à obesidade já foramidentificados. A descoberta da Myriad é significativa por tersido feita por meio de rastreamento populacional e não apenascom estudos em animais. A equipe da Myriad comparou o DNA depessoas obesas com o de outros membros da mesma família. Elesdescobriram a mutação de um gene que foi transmitida de umageração para outra. Os cientistas ainda não sabem qual é a porcentagem deindivíduos portadores da mutação que pode desenvolver obesidade.Eles trabalham com a hipótese de que esse número possa seralto. Em São Paulo, o anúncio da Myriad não surpreendeu osespecialistas ouvidos pela reportagem. "Muitos genesrelacionados à obesidade são descobertos todos os dias", disseAlfredo Halpern, professor de endocrinologia da Faculdade deMedicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). "A obesidadepassou a ser assunto bastante estudado." Para Antonio Roberto Chacra, professor de endocrinologiada Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), detectar odefeito genético usando tecnologia de biologia molecular ésempre um avanço. "Mas não podemos esquecer os fatoresambientais." Chacra explicou que as pessoas podem terdeterminada mutação genética e não desenvolver a doença. "Nem todos obesos têm a mesma mutação genética",completou Halpern. Há várias alterações genéticas ligadas àobesidade. Cada uma delas é responsável por um efeito: reduzirou acelerar a velocidade de queima de gordura, aumentar oudiminuir o apetite e provocar maior ou menor acúmulo de gordurano corpo. A equipe da Myriad informou que o gene HOB1 pareceproporcionar vínculo entre obesidade e diabete. A relação entreessas duas doenças já é conhecida pelos especialistas em todo omundo. "Tanto que já se fala em ´diabesidade´", disse Halpern.A obesidade parece estar relacionada ao desenvolvimento deresistência à insulina, o que caracteriza a diabete tipo 2. Como a obesidade, a diabete também não é determinada poruma única mutação genética. "Na maior parte dos casos dediabete, há mais de um gene envolvido", esclareceu Chacra.Nesses casos, vale a regra de interação do indivíduo com oambiente para que ele desenvolva a doença.

Agencia Estado,

29 de outubro de 2002 | 16h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.