Empresários de Itacaré querem garantir paisagem

Primeiro empresário a patrocinar o Floresta Viva, Cleber Isaac Filho, diretor do Complexo Vila São José, que reúne um eco resort e um condomínio em Itacaré, acredita que usuários e investidores de seu empreendimento ?estão supondo que o lugar, daqui a 30 anos, estará tão bom ou melhor do que agora. No entanto, o turismo traz riscos, pois não gera empregos para todos. Por isso, deve subsidiar os que querem permanecer na agricultura?. Dos 225 hectares do Vila São José, 80% formam uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).Além de ?adotar? 20 famílias do Floresta Viva e comprar mudas de seus viveiros, Issac está divulgando o projeto entre seus hóspedes e espera conseguir recursos para assegurar a renda mínima a pelo menos mais 30 famílias. O empresário também financiou o site do projeto (www.florestaviva.org.br) e a instalação de energia solar na casa do ?seu? Beca. A idéia é que os visitantes endinheirados que leva para conhecer a Trilha Janela da Gindiba, nas terras do agricultor, ajudem a levar o benefício para outras famílias.Nelson Moraes, proprietário do Txai Resort, começou a colaborar com o Iesb comprando as hortaliças orgânicas produzidas pelo projeto. ?Fornecemos também sementes de produtos que precisamos e não têm na região, como alho poró, que eles nunca tinham visto, e mostramos o que sai mais?, diz. Depois, financiou o plantio das mudas produzidas pelo ClickÁrvore, que foram usadas para recuperar a mata ciliar do rio Tijuípe, em sua propriedade.?Quando me apresentaram o Floresta Viva, percebi seu potencial em cortar o ciclo da mandioca, no qual o agricultor desmata, faz farinha e volta a desmatar, até esgotar o lugar. Nesse processo, ele despende boa parte da vida, sem que esse trabalho lhe assegure condições de sobrevivência?. Por conta disso também passou a ?adotar? algumas famílias e a trazer outros colaboradores. ?Empreendimentos como o Txai atraem pessoas com condições de financiar o projeto. Quando um empresário vem a um lugar desses, vê o potencial de preservação e a seriedade das pessoas envolvidas, está próximo de ser também um patrocinador?, acredita Moraes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.